Em 2019, este blog comemora, 10 anos de existência! Virá TANTA coisa boa! Jantares, Ofertas, Entrevistas, Eventos, conteúdos Exclusivos e... surpresas! =P

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Eu voto Livre!

Olá!

Segundo as sondagens, há uma percentagem enorme de indecisos para as eleições do próximo domingo. Eu, já sei em quem vou votar - há meses!

Eu sempre votei em partidos de esquerda: votei uma vez no candidato Presidencial do Partido Comunista Português e, votei outras vezes no Bloco de Esquerda. Com o surgimento do Livre, e ingresso da Ana Drago (e de outros) nesse novo partido, fiquei com o meu voto decidido. Já tinha votado neles nas Europeias e, no próximo domingo, irei repetir a minha cruzinha.

Porquê?

O Bloco, está-se a tornar igual ao PCP - partidos anti-governo. É necessário haver um partido-bengala, na esquerda (visto que o CDS já faz esse trabalho na direita e com sucesso). O Livre, pelo que parece, está disposto a coligar-se ao Partido Socialista e, assim, puxar algumas coisas para o lado esquerdista e não para o lado do centro-direita - coisa que o PS tem feito nos últimos anos.

Dou uivos de alegria só de pensar que o Cavaco vai deixar de ser Presidente mas, tenho um medo: quem o irá substituir? Não votarei Maria de Belém, isso é certo. Caso não apareça nenhuma figura marcadamente de esquerda, terei que votar Sampaio da Nóvoa (apesar de não ser bem o que procuro). Se o Marcelo se candidatar? Também sou capaz de votar nele, só para ver se ele implementará o que tem dito há anos nas televisões!

Há que votar nos que roubam menos... porque todos roubam! - frase dita por uma colega minha que, trabalhou no Borges e Irmãos, banco comprado pelo próprio avaliador (BPI), no tempo do governo de Cavaco Silva. Ela lembra-se, dos almoços que todos eles tinham nos restaurantes de Lisboa e, que se fazia tudo às claras. Também todos nos lembramos que, o Pavilhão Atlântico, foi comprado pelo genro do Cavaco Silva. Genro esse que, nos tempos que trabalhava numa rádio, não tinha onde cair morto!

Há é verdade, já me esquecia - o Passos Coelho! Ele que era o mais africano de todos os candidatos, morava em Massamá e a sua mulher trabalhava com crianças... Pois, a mulher dele era domestica e, quando se tornou Primeiro-ministro, tinham que lhe arranjar algum trabalho "bonito". Viver em Massamá? Ele agora vive num condomínio de luxo, em Lisboa, em que o ordenado dele, não lhe permitiria tal aquisição. Sim - ele ROUBOU, como todos os outros!

Domingo, votem na esquerda - seja ela qual for!

Raquel Varela, a falar sobre o (ainda) actual Primeiro-ministro.




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

7 comentários:

  1. Eu até costumo estar a trabalhar nas mesas de voto mas nestas eleições pedi para não estar, por causa da minha avó.

    É preciso haver uma grande mobilização para que as coisas mudem. Enquanto tivermos níveis tão altos de abstenção, ganham sempre os mesmos.

    P.S. - Aguardo resposta ao email :P

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Mikel Shiraha!

      Antes de mais, obrigado pelo teu comentário sempre oportuno!
      A abstenção tem a ver com a consciencialização da importância de cada voto. Se as pessoas pensam que não vale a pena votar... nada muda. Mas, tem de mudar! Muita culpa têm as "sondagens", enfim...

      Sobre o e-mail: não está esquecido, está quase, está quase!!!!! =D


      Beijinhos e porta-te mal!! ;)

      Eliminar
    2. Lá nisso tens razão. Eu creio que devia ser proibido, por lei, o seguinte: a 30 dias de haverem eleições, não poderiam ser publicadas sondagens. Isso acaba por servir para mexer na cabeça das pessoas e sejamos realistas - as sondagens apresentadas são uma fantochada completa.

      Se bem me recordo, numa última sondagem que ouvi, da tvi, a noite passada, perguntaram a mais de 1000 pessoas. Dessas todas, responderam 58%, o que na realidade daria não 1000, mas sim 580 pessoas. Ou seja um universo ainda mais reduzido. Depois, ainda se soma a taxa de votantes que possa ter sido "manipulada" pelos interlocutores. Junte-se as margens de erro, que vão até aos 5% e temos uma bela de uma estatística - que representa nada de nada, só serve para especular, no fim de contas! :o

      Se eles fizessem uma "super-hiper-mega" estatítisca, aí num universo de 3-4 milhões de pessoas, mesmo que tivessem uma margem de erro de até 5%, aí sim, ainda poderia considerar alguma coisa, sendo que mesmo assim representaria menos de metade da população, embora deva estar dentro dos números de pessoas que podem votar (18 anos para cima).

      E podia ser que assim as pessoas de facto cm'preendessem as coisas e não houvesse tanta gente sem saber no que votar - melhor dizedo, sabem, mas não dizem, porque provavelmente vão votar no "P.D.A." - "Partido Deixa Andar"

      Beijinhos ;)

      Eliminar
    3. Boas Mikel Shiraha!

      Tens razão em tudo o que dizes. Tinha uma professora que, era a favor de um "partido" das abstenções, isto é, haver lugares vagos na Assembleia da República, representando quem não ia votar.

      Sabes, as pessoas comem todo o spam que apareça na televisão e, nem se dão ao trabalho de perceber. Porquê? Estão entretidas com a sua vida e, muitas delas, nem percebem as estatísticas e, nem convém que percebam.

      Espero que, durante os próximos 4 anos, tenhamos um governo de esquerda e que exerça como tal...


      Beijinhos e porta-te mal!! ;)

      Eliminar
    4. Disseste tudo. As pessoas comem toda a trampa que a televisão lhes coloca à frente. Simples arredondamentos como passar dos 43,07% de abstenção para os 43,1% e o número de votantes dos 56,8% para 57% provoca diferenças...

      É só fazer as contas :$

      Eliminar
    5. Tenho esperanças que ainda se consiga um governo de Esquerda, apesar dos resultados obtidos. :)

      Eliminar
    6. Olá Mikel Shiraha!

      Obrigado pelos teus comentários!
      Tens razão em tudo o que dizes. Não tenho andado muito atento à TV, mas espero que se arranje uma solução de esquerda e, sustentável!
      Será possível?! =/


      Beijinhos e porta-te mal!! ;)

      Eliminar