Neste mês do Orgulho Gay, irei revelar NOVIDADES com 2 novas Parcerias com instituições LGBT's portuguesas! =D

segunda-feira, 20 de junho de 2016

86ª Feira Livro

Oiiii!

Tal como no ano passado, fui à Feira do Livro de Lisboa e, tive de fazer uma comprinha - pois claro! Depois, tive um almoço muito... especial! Mas calma rapazes, uma coisa de cada vez!

Este ano, não estava com grande vontade de ir à Feira mas, logo me passou quando me meti pelo meio dos livros, e a ler as iniciativas que tinham - pena que não houvesse grande coisa LGBT, mas enfim. Enquanto por lá andava, vi a escritora Ana Maria Magalhães; ainda pensei em ir ter com ela contudo, parecia-me despropositado. Enquanto por lá andava, aproveitei por passear um pouco e apreciar a magnifica vista que o Parque Eduardo VII nos oferece! Comprei o livro que queria e lá subi, rumo ao Príncipe Real, para experimentar um magnifico restaurante, numa companhia também a estrear!
A entrada da Feira está virada para a rotunda do Marquês de Pombal
E ele chegou; o autor do livro que comprei e, íamos almoçar juntos! Fomos ao restaurante "Zero Zero" - uma pizzaria logo ali, na Rua da Escola Politécnica. Quem por lá passa, não dá por conta da entrada - é muito discreta! Entramos, e fomos directos à esplanada. OMFG - que esplanada lindíssima! Uma música jazz, um sumo de laranja, e uma conversa literária, foi o mote do que prometia ser (e foi) uma tarde quente, mas de mentes frescas!
Comemos, cada um de nós, uma pizza (Prosciutto cotto e Funghi) de fiambre e cogumelos que estava di-vi-nal! Ainda por cima eu, que estava com uma fome sobrenatural, fiquei muitíssimo satisfeito! Ao todo paguei menos de 15€ ali, em pleno coração de Lisboa, com uma vista privada usada por poucos e uma companhia, incrível.

Do que se falou ao almoço? De política americana, História, livros, filmes, pessoas e, especialmente, de sorrisos - porque sim, devemos ser pessoas felizes, acima de tudo!

A vista no cimo do Parque Eduardo VII
A seguir, fui para casa. No metro, não pude acreditar no que via (e no que fiz). Quando o metro se aproximava e era altura de escolher a porta vi, numa delas, um tipo magnifico, já dentro da carruagem. Claro que foi fácil escolher: fui para aquela! O tipo havia de ter uns 18 anos, altíssimo, com uma camisola manga à cava, com a pele vermelha de praia, músculos salientes, e com um ar de mau - claro que fiquei, logo ali, derretido pelo moço! Durante toda a viagem, ia ao lado dele, a tentar fixar o maior número de pormenores possíveis do rapaz pois, era digno de registo contudo, durou pouco tempo: ele saiu na paragem a seguir! Bahhhh =(
Porque isto me acontece?????


Porque não estamos sozinhos no Mundo.




Beijinhos e portem-se mal!! ;)