Em 2019, este blog comemora, 10 anos de existência! Virá TANTA coisa boa! Jantares, Ofertas, Entrevistas, Eventos, conteúdos Exclusivos e... surpresas! =P

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Faço Voluntariado

Olá Olá!

É verdade - faço voluntariado. Já faço voluntariado há uns anos mas, sempre, em acções pontuais. Queria algo mais sério. Queria, realmente, fazer a diferença na vida de alguém. Sempre que fiz voluntariado, era algo bastante complicado: cada organização, tem diferentes formas de trabalhar e, em algumas vezes, sentia-me realizado todavia, noutras, sentia-me um escravo e, até, humilhado.

Antes de começar a participar, enquanto voluntário, em acções pontuais, investiguei sobre o assunto. Todavia, tinha muito medo. Tudo aquilo que sabia que necessitava de voluntários, era para trabalhar com pessoas portadoras de deficiência e, com doentes hospitalares (dar comida à boca, etc). Sinceramente, nenhuma dessas duas áreas suscitava-me interesse. E mais, tinha medo de errar e, de prejudicar alguém. Já viram a responsabilidade que é, alimentar uma pessoa incapaz de o fazer? Ou, até, de fazer companhia / participar em actividades com pessoas portadoras de deficiência - eu não sei lidar com autismo, e as demais doenças psicológicas... e se eu fizesse merda? Não, não, não!! =(
Contudo, a ideia nunca desapareceu. A semente existia. A vontade estava lá. Mas faltava...  qualquer coisa! Fui "empurrado" - e, diga-se, bem empurrado! - , para este Mundo que se abriu, mesmo diante dos meus olhos. Quem foi, quem foi, quem foi? Uma colega de turma, mais velha, que fazia voluntariado. Onde? No IPO de Lisboa, dava o almoço aos doentes terminais. Disse-lhe logo, que não conseguia fazer aquilo... estar em contacto, sistematicamente com pessoas doentes, não iria aguentar. Ela disse-me que só o fazia, porque foi lá que o seu marido tinha morrido e, assim, sentia-se obrigada em ajudar quem não tem apoio dos familiares e, a maneira que ela encontrou, foi alimentar os doentes que sofrem com a mesma doença que vitimou o grande Amor da sua vida...

Pensei naquilo. Mas, de facto, não tenho a capacidade emocional de estar em contacto com doentes e, como ela própria dizia (e diz, porque continua a ser voluntária no IPO), às vezes apercebe-se que, aquela pessoa que está a alimentar, não irá durar mais uma noite ou, às vezes, quando volta passado uns dias, vê que as camas onde tinha estado, estão a ser ocupadas por outros doentes (os que lá estavam, morreram entre tanto) e, acrescentava: "o que mais me custa, é ir à ala pediátrica...". Fora de questão! Acho que, se fosse para um sítio desses, passaria todo o tempo a chorar e, em vez de dar Força, e distracção, seria ainda pior! Não! Eu tinha que sentir-me bem, para onde fosse! Tinha que ser um projecto que emocionalmente, fizesse-me crescer e, pudesse melhorar a vida de alguém. Lá está, ganhar Mundos! Evoluir, melhorar enquanto Homem, e ser uma pessoa mais lúcida e solidária.

Investiguei mais a fundo, contactei alguns locais e, apercebi-me, que os reclusos são alvo de acções voluntárias. Senti que seria um projecto a ter, durante uns bons meses... Queria perceber, o homem que é condenado (porque sim - ele tem uma história que, não é melhor nem pior que a tua)! Posso julgá-lo? O que sei eu da vida de alguém que rouba? O melhor de assistir a julgamentos, é perceber que temos muito a agradecer a vida que temos e, há vidas, tão mas tão difíceis... Não desculpo quem rouba, apenas quero entender a pessoa que existe, para além do óbvio! Porém, por aconselhamento de alguns amigos, não me meti nas Prisões. Tenho pena. Sociologicamente, penso que seria uma mais valia para mim. Assim, tinha que arranjar uma solução. Para onde deveria ir?

Pensei em dar explicações a crianças de Bairros Sociais, tentando assim evitar o Abandono Escolar. Porém, quando começamos a conhecer "certas e determinadas" associações e projectos, só nos apetece é fugir! Deste modo, tinha que encontrar outra coisa. Não imaginam o tempo que perdi nisto! E-mails para cá, chamadas para lá, reuniões, dilemas existenciais... Mas eu estava decidido: queria ser voluntário, durante um ano, todas as semanas! Queria mudar a minha vida, mudando alguém!

Ser voluntário é uma acção egoísta, penso. Fazemos, porque queremos sentirmos-nos bem. Todavia, estamos a dar tanto aos outros que, depois percebemos, que nós é que estamos a ser alvo de voluntariado. Os outros é que nos ajudam. Levamos com um banho de Humildade, de Realidade, e de Nós-Mesmos, que nem vos passa pela cabeça! Assim, resolvi meter-me com um público difícil porém, tinha certeza que conseguiria desenvencilhar-me: os idosos. Aqueles dos Lares, que comem através de sonda? Que passam os dias sentados, a babarem-se? Não! Os das Academias Seniores!

Então, assim foi. Depois de ver vários projectos, correspondi-me com alguns deles e, depois de reunir-me com o projecto que mais dava-me estabilidade e, melhor satisfazia os meus interesses, aceitei. Assim, durante o ano lectivo 2017/2018, fui professor voluntário, e tinha como alunos, malta com idade para serem meus avós! Foi uma experiência... incrível! Ganhei-lhes o respeito e, o mesmo aconteceu com eles, em relação a mim. O facto de dar aulas a pessoas de 70 e 80 anos, homens e mulheres, fazia-me ver tantas coisas... E as discussões que tínhamos em aula? Lindo! Aprendi tanto com todos eles! Eu! Eu é que fui alvo de voluntariado! Eu, o puto daquilo, mais novo que os netos mais novos de alguns deles, estava ali a dar aulas. Foi difícil. Foi duro. Foram meses rijos mas... repetia-os!

Óbvio que fiquei com o contacto de alguns deles. Falamos-nos. Já fui a uns almoços, mesmo já sem continuar lá! Ainda agora, por exemplo, fui ao Almoço de Natal da Academia Sénior, e já nem sou professor... Incrível. Incrível. Um projecto bem pensado que, muda a vida a tanta gente! Muitos dos meus alunos, eram pessoas que não querem entregar-se a algo. Uns, viúvos, outros com problemas oncológicos, outros a solidão mas, todos tinham uma coisa em comum: vontade de si próprios!

Lamentavelmente, e visto que estou no terceiro - e último -, ano da Faculdade, não estou envolvido em qualquer projecto de voluntariado de forma continua. Todavia, não tenciono parar. Conhecem a Filantropia? Pois, em Portugal não se liga nenhuma mas, nos EUA, é bastante comum. Estabeleci contactos e já comecei a ajudar pessoas de todo o país, sem eu sair de casa! Quando se quer!...

Para este 2019, peço que reflictam nisto. Pensem, de forma séria, em ajudar os outros. Apoiar e... serão apoiados. Não falo na caridadezinha. Sejam homens, porra, com os colhões no sítio, e ajudem! Encontrem a vossa vocação, enquanto voluntários, e transformem a vida de alguma pessoa.

Pensem. Ser blogger, leitor, comentar aqui ou ali, e ser treinador de bancada, não é ser voluntário.
Ajudem, cara-a-cara, os outros. De forma regular, mas com entrega total da vossa parte. Tenho a certeza, que tornar-se-ão, ainda mais, pessoas melhores. Cresçam, que ainda vão a tempo! =)




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Carta ao Pai Natal 2018

Olá rapaziada!

Tudo bem convosco?

Tenho andado extremamente cansado. Exausto mesmo. A Faculdade dá cabo de uma pessoa, ainda para mais, é o último ano. Só me apetece fazer uma fogueira, e queimar tudo... Mas depois penso em respirar e que, tudo isto, daqui a seis meses, deixa de existir - finalmente, serei Licenciado (e, desempregado)!! Até lá, há que passar as passinhas do Algarve, e ver se não mato ninguém sem querer... xD Ando a pensar em tanta coisa...! E, sozinho. Será que poderíamos voar para o Paraíso?...


Ao contrário do ano passado, acho que o Pai Natal não é um Daddy mas sim, um tipo com pouco mais da minha idade (uns 30's, vá). Enfim, a cavalo dado, não se olha o dente! Ele que venha, independentemente da sua idade! Ahahahah! Bom, se for um tipo tonificadão, melhor, né?! =P

Vamos é aos pedidos natalícios!

Ouvi, esta semana, aquela frase "Tem pouco Mundo". A frase não foi para mim mas, fiquei a pensar naquilo. Quer frase tão snob! Vocês conhecem a frase? É terrível - chama a outra pessoa como inculta! É tão vil! Tão baixa! Tão feia! Mal ouvi aquilo, demorei uns segundos a decifrar aquilo e, saí em defesa da pessoa que era alvo. Não, aquilo não se diz a ninguém! Cada um tem o seu Mundo!!

E é isso que peço-te, Pai Natal. Peço-te experiências. Peço-te viagens. Sabes que tendo gasto mais dinheiro em actividades, do que em roupa e, de facto, roupa não preciso. Não quero roupa. Quero é dinheiro, para viajar, para conhecer, para falar com pessoas diferentes. É disso que tenho falta. Não tenho falta de Mundo, tenho falta de Mundos! Conhecer o Mundo de outras pessoas! Não há Mundos melhores que os outros mas, bem sei, que todos temos tanto a aprender uns com os outros...! =/

Claro, se quiseres oferecer uns relógios, daqueles que se contactam ao telemóvel, seria simpático da tua parte! Ah, e já agora, se quiseres oferecer uns livros universitários, também era generoso vindo de ti! E mesmo sem ser livros para a faculdade - sabes, ando com uma grande vontade de ler os Clássicos Russos, mas em português, evidentemente! Tens aí alguma coisa? Manda-me Pai Natal!

E quero outra coisa - tempo. Tempo. Tempo para dormir mais. Tempo para ver as minhas séries. Tempo para ver os meus filmes. Tempo para o blog. Tempo para mim mesmo. Tempo para os outros. Sinto falta de dedicar Tempo aos outros. Penso que, não podemos evoluir, sem olharmos ao redor.

E quero desejar-vos, a todos, um belo Natal. Que seja uma época de doces, sossego, e Saúde. E não sejam Bichas Modernas, e segunda-feira à noite, comam Bacalhau com Todos, tal como farei! =)

O Andrea Bocelli é óptimo mas,  nada melhor que o original - Elvis Presley e Martina McBride! *.*




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Coletes Coloridos

Olá.

Mais o tempo passa, mais encho-me de questões. "Que caminho é este, Senhor? Que caminho é este que os Homens tomam?  E no fim, o que iremos encontrar?". Ando católico? Not really, mas quando perdemos a noção das coisas, começamos a rogar a todos os Santinhos. Sinto-me fodido... e perdido!

O Natal vem aí, e com ele um Novo Ano contudo, só vejo merda. Merda. Merda por todo lado. Quem fez essa merda toda? Nós! Todos nós! Temos as mãos, a cara, e todo o nosso corpo, repleto de toda a merda do mundo! Sim - somos uns merdosos cobardes que, merdamo-nos diante o futuro!

Que futuro é esse? É o caminho que estamos a percorrer e, esse caminho, é só merda. Merda. Mas, agora perguntar-me-ão, que merda é essa? Que cheiro tem? Que aspecto? Qual a sua origem? Este texto, é para descobrirem algo de simples conclusão: a merda, é unicamente, cagada por nós.
"A raiva do povo. A precariedade é um negócio. O mundo somos nós." Stephane Mahe/Reuters
Comecemos pelos Estados Unidos, o Trump. Esta semana, o Presidente dos EUA, ameaçou o Governo, em relação ao Muro que este insiste em construir. Agora pergunto: E a caravana de migrantes? Porque motivo a Comunicação Social Portuguesa, deixou de falar sobre o gravíssimo problema social e humanitário que lá existe? Em vez de fazerem reportagens sobre quem assalta as vedações, porque não constatam a forma terrivelmente miserável como vivem nos seus países?...

Por falar em insanidade mental, há que falar do Bolsonaro. O Brasil anda completamente... irregular! Poderia falar, da dificuldade que o fascista tem em arranjar ministros. Poderia desenvolver o facto que, as pessoas que o homofóbico escolhe para o Governo, estão envolvidas em casos judiciais. Poderia ainda falar de tanta e tanta coisa mas não: vou falar apenas, de uma futura Ministra brasileira.

Damares Alves, será a Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos. Ela também é advogada e Pastora Evangélica. Damares Alves, pretende construir um "Brasil sem aborto", pois afirma: “Eu sou contra o aborto. Nenhuma mulher quer abortar. Elas chegam ao aborto, porque, possivelmente, não foi lhe dada nenhuma outra opção. A mulher aborta acreditando que está desengravindando, mas não está.”. No Brasil, uma das três situações que permite o aborto, é a violação mas... esta pretende criar a chamada "bolsa estupro", isto é: o pagamento de uma bolsa, à mulher violada, que decida ter o filho.

Ahh e antes que me esqueça, há que falar de Ezequiel Teixeira. Quem é este? Segundo a sua página de facebook, é "Deputado Federal pelo Rio de Janeiro, Pastor e fundador do Projeto Vida Nova, conferencista internacional.". Ficaram na mesma? É um deputado que, em 2016, criou o Projecto de Lei 4.931. Que projecto é este? Visava a Cura Gay. Sim, este homem continua a exercer funções!



Agora, os franceses. Fico arrepiado com o que está a acontecer. Fico num sentimento agridoce. Por um lado, penso que este caminho [a violência] não é solução mas por outro, tenho pena de não estar com eles [fisicamente]. Ir a manifestações é violentíssimo. Gritar pelo o que acreditamos, é de uma coragem tida por poucos. Ao ver o que se passa em França, faz-me sentir um cobardolas merdolas. Nunca esquecerei, a Manifestação de 12 de Março de 2011, onde estive presente, da "Geração à Rasca". Fui sozinho, mas não tive medo. Hoje, os meus pensamentos estão com eles, os franceses.

Eles lutam pelo que acreditam. E, todos eles lutam: anarquistas, esquerda e direita; urbanos e rurais; homens e mulheres; migrantes e nacionais; novos e velhos. O que mais me comove é, ver reportagens das manifestações, onde estão mulheres na casa dos 60's, a dizer que estão ali a lutar não por elas, que afirmam ainda ter o que pôr na mesa, mas sim pelos seus e por quem não tem dinheiro... =(

A Primavera Árabe chegou à Europa? Sim, a escalada de luta está a propagar-se para outras regiões, especialmente Itália e Catalunha. E por falar em Primavera, que merda aconteceu na Cimeira do Clima?! Já agora, porque ninguém fala da Huawei? E os jornalistas da Reuters, presos em Myanmar: se a Time considerou-os Personalidades do Ano, como é que ainda é possível, a Comunicação Social Portuguesa, não ter falado nada do assunto? Os jornalistas sérios, merecem ser lidos, com liberdade!

Coletes Amarelos? Não. O que precisamos são coletes de todas as cores e, em todo o Mundo. Todos nós, devemos lutar sempre pelo que acreditamos. Sou a favor de todas as lutas, desde que estas tenham como finalidade a Paz. Em Portugal, vive-se numa inércia Queirosiana, onde a Esquerda está refém dos seus compromissos e, a Direita, é inexistente; o que mexe, mas pouco, é a Extrema Direita Portuguesa. Pressente-se que é esta última, a organizar as coisas por cá - veremos o seu (in)sucesso.

Duvido sempre quando apresentam um único caminho. Nunca há só um caminho, quando há Amor.




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

X-Lux + Festive Line Modus Vivendi

Boas!

Trago a solução para todos! Sim, aquelas comprinhas de última hora, agora já estão resolvidas! Já fizeram as encomendas natalícias, nas vossas pastelarias favoritas? E a Árvore de Natal, já está feita, certo? Este ano, terão Presépio, com ou sem musgo natural? E este ano, a Ceia é em casa de quem?
Saibam mais sobre estas cuecas
Tamanho o sucesso da publicação do mês passado, resolvi repetir a proeza. Hoje, divulgarei, duas outras linhas da Modus Vivendi. Têm tanto por onde escolher, que o difícil será manter o orçamento previamente pensado para o Natal. Mas... o Natal é quando o Homem quiser e... sejam regrados! =)
Saibam mais sobre esta manga à cava, e estas cuecas
Lá está, para não baralhar, apresento-vos uma linha de cada vez! E comecemos pelo modelo, pode ser? Este chama-se Jorge Piantelli e, ao clicarem na hiperligação, serão reencaminhados para o seu Instagram. Esta linha tem como mote, os Fogos de Artifício, característicos desta época e... as jóias.
Saibam mais sobre estes boxers
A linha Festive, é composta por cuecas (em vários modelos), boxers, camisolas à cava, T-shirts e, calças. Esta colecção, está disponível em preto e ouro, tem o logotipo clássico e, o cós, é brilhante.
O fabrico em elastano algodão, combinado com tecido brilhante plissado cetim, esta linha é ultra-luxo.



A publicação de hoje, faz homenagem ao brilho. Estas peças elegantes, correspondem às nossas expectativas de tecido de alta qualidade, exclusividade e estilo. Estas colecções, foram feitas para impressionar e, para desfrutarmos esta época, como bon viveur, entre amigos e na Paz do nosso Lar.
Saibam mais sobre estas cuecas
Vamos começar, como sempre, pelo modelo. Este chama-se Konstantinos Konstantinou e, este, é o seu Instagram. A sessão fotográfica foi feita no Chipre e, como verificarão, é ideal para as mini-férias e feriados que se aproximam - tanto captará olhares românticos num Chalé, como numa Cidade!
Saibam mais sobre estes boxers
A linha X-Lux, é composta por cuecas (em vários modelos) e boxers. Esta colecção, está disponível em preto e cinza, tem o logotipo clássico e, na cintura, há brilhante disponível em vermelho ou prata.
O fabrico em tecido elastano veludo micromodal macio, esta linha é, tal como a outra, ultra-luxo!
Saibam mais sobre estas cuecas
Como prometido em Setembro, onde mostrei-vos como são os pacotes que chegam ao destino que escolhemos, quando fazemos a nossa encomenda, é a vez de revelar a terceira peça que...
Cuecas prateadas, tamanho M, linha Glamour Low Cut Brief - frente
... a Modus Vivendi ofereceu-me! É da colecção Glamour! Também há em douradopreto! =P
Cuecas prateadas, tamanho M, linha Glamour Low Cut Brief - verso
Ah é verdade, caso também precisem de acessórios (meias, ligas, cintos, cachecóis...) comprem aqui!




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Menezes Cordeiro

Boa noite!

Sabem com quem estive ontem? Com o Menezes Cordeiro! Sim! Ele mesmo! Não se lembram de quem é? Pois, é normal: ninguém comentou sobre o que ele escreveu, no seu mais recente livro.
António Menezes Cordeiro
Eis um parágrafo, do seu mais recente livro, Direito do Trabalho I, publicado no mês passado:
"A vida íntima de uma pessoa pode, em qualquer momento, ser conhecida; e sendo-o, pode prejudicar a imagem de uma empresa. Assim, como exemplos: para quem pretenda lidar com valores, melhor será que não tenha cadastro e que não esteja insolvente; um homossexual não será a pessoa indicada para vigilante noturno num internato de jovens rapazes; uma recém-casada não pode ser contratada como modelo; um alcoólico fica mal num bar, o mesmo sucedendo com um tuberculoso numa pastelaria ou com um esquizofrénico num infantário. Não vale a pena fazer apelos ao politicamente correto, nem crucificar os estudiosos que se limitem a relatar o dia-a-dia das sociedades: o Direito vive com factos e não com ideologias." (página 566)

Tudo é desapontante. Tudo. Poderia, estar aqui a esmiuçar cada exemplo mas... valerá a pena? Claro que não, é tão absurdo, que nem irei infantilizar-vos a explicar esta estupidez. Todavia, admiro-o.

Ele é, indubitavelmente: o civilista obrigacionista, mais influente em Portugal; um dos civilistas mais importantes do nosso país e; um dos mais reconhecidos professores Catedráticos, e dos mais influentes que temos. Ele é, um grande influenciador, junto dos nossos legisladores. O que ele escreve, torna-se lei; o que ele diz, não é posto em causa; o que ele acha, todavia, deve ficar para ele. Admiro-o sim, mas decepcionou-me tanto...

É surpresa para mim? Não. Eu já sabia destas suas... opiniões. Já aquando da co-adopção (quer na FDL, quer na AR), este tinha feito umas declarações chocante! Bom, só espero que o filho, o Barreto Menezes Cordeiro (na FDL é só dinastias), não siga o exemplo de seu pai (pelo menos, nesta caso!).

Todavia, e passado uns dias deste caso ser notícia, o senhor professor doutor, resolver vir esclarecer as coisas. Esclareceu? Não, muito pelo contrário - enterrou-se ainda mais. Mas lá está, como ele diz sempre, não está preocupado com o politicamente correcto, nem ambiciona cargos políticos...!

Quanto à frase, "uma recém-casada não pode ser contratada como modelo", este admite que "houve um lapso" e que, quereria dizer, "mulheres que tencionem engravidar". Really? =(



O Catedrático, queixou-se das inúmeras críticas, afirmando que "as frases foram retiradas do contexto", e acrescenta: "Em todo o livro defendo que ninguém deve ser discriminado em função da sua inclinação sexual, está na Constituição e já antes o defendia. Acho que os homossexuais são pessoas como quaisquer outras.Tenho bons amigos homossexuais, dos quais gosto muito, não tenho nenhum problema com a sua inclinação sexual". Inclinação sexual? Seriously??? =(

Em relação aos homossexuais, este indica que, tem de se "adequar o perfil à função": "para defesa dele e da empresa e para defesa dos miúdos. Se ele não fosse contratado, não era discriminação". Ainda: "Não estou a dizer que não possa ser contratado, existe uma razão objetiva para não o ser"; e dá um exemplo, "As senhoras revistam as senhoras e os cavalheiros revistam os cavalheiros." Também diz: "Se uma mãe de família tiver um filho numa instituição certamente que iria preferir que não fosse um homem homossexual a lidar com ele". A sério que estou a ler isto? =(

E para rematar: "Colocar um heterossexual a vigiar um internato de raparigas também não é adequado, não é discriminatório, não é proibido, mas não é adequado". Vale a pena comentar? =(

Vá, calma, tenho a solução perfeita: Rendimento Básico Universal. Para quem? Para todos nós! Homossexuais, heterossexuais, recém-casadas, e por aí fora! Ai ai ai... esta gente, esta gente! =(

Deixem ser o que quiserem! Larguem as pessoas! É urgente a Liberdade! Vivam, sem merdas!



Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Os Crimes de Grindelwald

ATENÇÃO! ATENCIÓN! ATTENTION! 

Protejam os que amam! Reforcem os encantamentos de protecção do vosso abrigo! Aparatem no local mais longínquo que conheçam! Sim: Grindelwald, fugiu!
Como fã dos livros, e filmes (que nada têm a ver com os livros), da saga "Harry Potter", era óbvia a minha necessidade (vital, vá), de ver este filme, o mais depressa possível! Dia 15, comprei os bilhetes para, domingo, dia 18, ver o filme (em ATMOS)! Porquê tanta antecedência? Queria garantir, que iria vê-lo, na sessão pretendida, e... com a minha mãe. E, ela, nem adormeceu, durante toda a sessão! XD

Como verdadeiro fã deste Mundo, resolvi seguir o esquema da "Guerra dos Tronos": seguir tudo o que ia saindo, incluindo, espreitar os (algo repetitivos) youtubers, dedicados a este imaginário! Fui para o filme, completamente cheio de spoilers mas, queria ver o filme, já percebendo o que ia acontecer. Todavia, ainda consegui ser surpreendido e, amar (como não amar?!) toda a história de J. K. Rowling!

Antes de mais, há que responder às críticas. Assim, irei começar pelos aspectos negativos deste filme. Segundo o site "Rotten Tomatoes", este filme tem uma má crítica, considerado por muitos, como um filme de passagem Sim, é um filme de passagem, tal como foi o livro/filme, "Harry Potter e o Príncipe Misterioso". Contudo, são essenciais para a trama, uma contextualização, e um momento de paz, antes do grande clímax. Apenas acho que o filme de "encher chouriço", veio demasiado cedo!...
Agora, tudo o que veio de bom! Dumbledore (Jude Law) apareceu! McGonagall (seja a própria [que, supostamente, ainda não era nascida], ou alguém da família), apareceu! Nagini (Claudia Kim), a cobra do Lord Voldemort, apareceu! Leta Lestrange (Zoë Kravitz [sim, filha do Lenny Kravitz]), a que trocou o irmão, e familiar da puta da Bellatrix Lestrange, apareceu! Gellert Grindelwald (Johnny Depp), o ex-companheiro do Dumbledore, apareceu! E, para mim, a melhor personagem deste filme, a personagem que mais surpreendeu-me... Nicolas Flamel (Brontis Jodorowsky), apareceu!! =D

Se gostei do filme? Claro! Principalmente, no final, quando estão no Mausoléu. O discurso do Grindelwald foi, para mim, emocionante - referiu que, iria existir, uma Guerra Mundial (a 2ª), e que eles teriam que intervir. Depois, o clímax perfeito, foi quando surgiu o dragão, que iria acabar com Paris... se não fosse a coragem do Nicolas Flamel, hoje em dia, Paris não existiria. A cena do dragão, é extraordinária! Quem sabe, se num dos próximos filmes, não usarão o Cemitério dos Prazeres?!

Vejam o filme, mesmo que não sejam fãs. Aposto que terão um momento bem passado! =)




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

P.S. - Quando Grindelwald vai ocupar uma casa em Paris, este tem contacto com uma criança pequena. Porém, este não a mata (manda matar), ao contrário de Lord Voldemort, com o Harry Potter. Esta cena, no filme, era necessária?!...

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

WORST OF

Olá, boa noite!

Domingo passado, fui ao Teatro Nacional D. Maria II, ver "Worst Of", do Teatro de Praga! =D
Sessão com conversa com os artistas após o espetáculo
Primeiramente, não conhecia a Companhia. Não fazia ideia da sua existência, até ao facto da São José, na entrevista que concedeu-me em Setembro, ter falado deles e, que ia, participar numa peça a estrear dia 1 de Novembro. Fiquei com essa "fisgada", reuni um grupinho da blogosfera, e lá fomos!
"Fígados de Tigre", de Gomes de Amorim (1857)
Nestas coisas sou muito precavido e, fiz questão de comprar os bilhetes com antecedência: queria garantir que ia ver a peça, ainda para mais, no final da mesma, haveria conversa com os actores!! Bilhetes comprados, tentei investigar o menos possível da peça e, domingo, pus os pés ao caminho!
Teatro Nacional D. Maria II
Um dia terrível de chuva e vento forte mas, a Cultura, vem sempre em primeiro lugar! Entrámos, ficámos na 3ª fila (C10) e, tudo começou! Sou-vos franco, preferi a primeira parte da peça, ao invés
da segunda. Na primeira parte ri, mas ri mesmo muito. Na segunda... nem por isso, e fiquei confuso.
"A Ceia dos Cardeais", de Júlio Dantas (1902)
Vamos aos aspectos negativos da peça: gostava de ter percebido melhor, a distinção de papeis entre a São José e a Márcia Breia; a Ceia dos Cardeais (que li, há uns anos), tem partes muito melhores do que a cena escolhida e; achei que foi dado pouco protagonismo, à incrível actriz, Cláudia Jardim.
Em destaque, o actor Pedro Penim
Agora, aspectos positivos: o melhor actor em cena, foi o Pedro Penim; a melhor parte, foi a do "Português, Escritor, 45 Anos de Idade"; gostei da diversidade de obras escolhidas para a peça, bem como o paralelismo dos 4 actores convidados e dos 4 actores "Praga" e; o actor Rogério Samora.
No fim da sessão, fomos comer uma fatia de bolo, ao Café da Bertrand
Agora, vamos a preços. Eu, que sou jovem, para estar na plateia, paguei 12,75€. Caro? Não! Quanto pagam vocês, para entrar no Trumps ou Construction? Ah pois é! Vamos lá, deixem de ser forretas, e paguem pela Cultura (da boa!)! Vão mais ao Teatro, principalmente ver comédias, tal como esta!

Eis o trailer de "Worst Of". Não se esqueçam, termina dia 18, já este domingo!!! Vão ver! =P




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Web Summit... every day!

Olá!

A melhor época para quem anda de metro, de forma diária (como eu), é na Web Summit! Porquê? É ver o metro a circular com pouco tempo de intervalo, composições com 6 carruagens (e não, 3!), e greve... nem ver! Estamos cheios de turistas. Sim, e daí? Pelo menos, dá para ver pessoas diferentes!
Web Summit 2018
Esta quarta-feira, aconteceu-me uma coisa estranhíssima! Aliás, até pode ser comum mas, nunca sucedeu comigo! Fui levado para uma nave OVNI?... Nop, isso é só no canal História!... =/

Ora, estava eu, muito bem, em São Sebastião, para apanhar a linha azul, em direcção ao Colombo, até que vejo a plataforma, está cheia de Benfiquistas! Nada de anormal, para um dia de jogo na Luz!

Todavia, eu já vinha do Vasco da Gama, e queria ir para o Colombo e, na linha vermelha, já tinha apanhado os estrangeiros todos e, agora, ia apanhar com o "Benfas"! Nada contra os homens viris, barriguidos, e a cheirar a suor ao fim de um dia maaaasss... Há formas, e formas, de seduzir!

A plataforma, estava cheia de pessoal encarnado! Eu só pensava: "Tenho pessoas à espera no Colombo, e o metro vem de Santa Apolónia... Ok, vou ter de empurrar gente!". Até que, a magia aconteceu! O Trump parou de tweetar? As obras, da estação de Arroios, acabaram? Melhor!!

Qual Dumbledore, Harry Potter ou António Costa! Apareceu um metro, de 6 carruagem, em contramão, e parou ali, bem à nossa frente! Parou, e abriu as portas! Sim! Sim! Um reforço de carruagens, no sentido "Reboleira"! YUPIIIIII! Óbvio, que ficou cheio num instante, e nem todos entraram (vejam bem a quantidade de pessoas que eram)! Eu só pensava: sabe tão bem pagar passe de metro! Isto, nos autocarros, nunca daria (devido ao transito... e às velhas que não se sentam!).

ADORO andar de metro! Mesmo que morresse, saberia que ia num saco da Prada! Andar de metro é in, andar de metro é ecológico e, andar de metro é sexy! Já viram a minha sorte? Pude roçar-me, a uma data de homens, a arrotar à cerveja! Não é o máximo?! =D Ainda por cima, do meu Benfas!! *.*

Agora, algo muitíssimo mais importante. Domingo, comemorar-se-á, o centenário do fim da 1ª Grande Guerra. Para mim, a 1ª Guerra Mundial, historicamente, fez muito mais sentido que a segunda e, como em todas as Guerras, houve muitos milhões de mortos... e famílias destruídas.

Infelizmente, há quem pense que votar em fascistas, melhora a vida dos cidadãos, o que é falso.
No ano passado, comemorou-se o Centenário da Revolução Russa e, há dois anos, estive presente num troféu da 1ª Guerra Mundial. Nunca devemos esquecer: o Amor, é o que une as pessoas!

O Imperial War Museu, editou o Registo gráfico do fim da 1ª GM (11/11/1918). Oiçam:
> 1 minuto antes da hora marcada, para o fim da Guerra (todas as armas a disparar);
> 1 minuto após a hora marcada, para o fim da Guerra (todas as armas em silêncio).

Morreram, 20 milhões de pessoas. Façam AMOR, não guerra. #SejamLivres




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Jock + Wolf Line Modus Vivendi

Olá!

O Natal anda aí, e eu, aqui, já ando ansioso por esta época! Deram conta, que as Amoreiras, já ligaram as suas luzes de Natal? Épá, acreditem ou não, mas enquanto escrevo este texto, estou a ouvir aquelas músicas, que passam todos os anos, nesta altura! Já fizeram a vossa árvore de Natal?
Saibam mais sobre estas calças, e esta T-shirt
Hoje, resolvi fazer, algo diferente! Apresentar-vos-ei, duas linhas da Modus Vivendi. Porquê? Estamos no Natal, e quero mostrar-vos a maior diversidade possível, dos mais recentes lançamentos, destes nosso amigos gregos! Mas, para não baralhar, apresento-vos uma linha de cada vez! Ahahah! =)
Saibam mais sobre estas cuecas
Assim, começo por apresentar-vos... os lindos modelos! O loiro, é o Efim Vasukhin e, o moreno, é o Daniel Savoskin (ao clicarem nos nomes deles, serão reencaminhados para os seus Instagram's). Esta linha, e à semelhança da linha apresentada no mês passado, foi realizada em Moscovo! xD
saibam mais sobre estas cuecas
linha Jock, é composta por cuecas (em vários modelos), boxers, camisolas à cava, T-shirts, calções, calças, e camisolas com capuz. Esta linha, feita com veludo perfurado e macio, tem a cor cinza/caqui, ou preto/azul. Esta linha ultra masculina, funde o bom gosto de estarmos confortáveis, com o luxo.



Após falar da "jóia da coroa", desta colecção Outono-Inverno, importa falar um pouco de moda. Este ano, há uma tendência mundial que, se estiverem atentos, todas as marcas seguem: a Animal Print! Também é de referir, que as linhas aqui apresentadas, são super quentinhas, e ideais para o Inverno!
Saibam mais sobre esta manga à cava, e estas meggings
Sem demoras, vamos para a apresentação do modelo desta linha. Chama-se Manos Xatzoudis, e este, é o seu Instagram! As fotos, desta vez, foram feitas em Tessalónica, na Grécia! Tal como na linha anteriormente apresentada, esta pauta-se pela relação ancestral que o Homem tem com os animais!
Saibam mais sobre estes boxers
linha Wolf, é composta por cuecas (em vários modelos), boxers, e Meggings (curtos e compridos). Esta linha (em algodão) sexy e funcional, está disponível em preto, cinza, e azul. Pode ser complementada, com algumas peças da linha referida primeiramente (pois usam veludo perfurado)!
Saibam mais sobre estas cuecas
Como prometido em Setembro, onde mostrei-vos como são os pacotes que chegam ao destino que escolhemos, quando fazemos a nossa encomenda, é a vez de revelar a segunda peça que...
Jockstrap azul, tamanho M, linha Transparent Jockstrap - frente
... a Modus Vivendi ofereceu-me! É da colecção Transparent! Também há em preto e vermelho!
Jockstrap azul, tamanho M, linha Transparent Jockstrap - verso
Estaremos prontos para uma boa (e valente), montada? #quemnunca =P




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

#BolsonaroFascista #ELENÃO

Olá! #agoravirou #Haddad13 #viravoto

Eu voto Haddad! Por um Brasil livre, por um Brasil democrático, por um Brasil dos brasileiros! Haddad, é a única solução, para um militar fascista, que anuncia em alto e bom som, crimes contra todos nós. Todos somos brasileiros, e todos somos de qualquer país, quando está em causa a Declaração Universal dos Direitos Humanos! Eu sou pelo livre-arbítrio de qualquer pessoa do Mundo! #liberdade
Hoje, alunos e docentes, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Bolsonaro é fascista! Bolsonaro é homofóbico! Bolsonaro é racista! Bolsonaro é, como diz Marcelo D2, doente! Como é que num país evoluído, como o Brasil, é possível os polícias entrarem pelas universidades dentro, para retirar cartazes, que apelam ao voto antifascista, e ao voto concordante com os Direitos Humanos? Aqui, discute-se, coisas tão simples como o facto se o Brasil deve (ou não), manter-se um Estado de Direito Democrático! E a resposta é sim! Claro que sim! Brasil, quer-se, para continuar a evoluir, ser um país Democrático e de Direito! Brasil, não é dos militares fascistas!

E escusam os neo-fascistas, brancos, e da Europa, afirmar que Bolsonaro é cheio de qualidades e, quem não é pró-Bolsonaro, é PT! Que se FODAM mentes pequenas e retrogradas, que só pensam numa economia elitista, onde os pobres têm o Karma de servir os Senhores da Metrópole! NÃO! A Economia, é mais do que uma ambição tacanha de um colonialismo inexistente, a Economia põe dinheiro no bolso das pessoas para comprar mais arroz e feijão, dá dinheiro para pôr o filho da escola (escusando ele ir trabalhar) e, assim, dá para escolher, quando a criança crescer, se deve comprar uma arma, ou um livro. A Economia brasileira, quer-se cheia de livros, não de militares com armas!
Domingo, vota 13, vota Haddad!
Não posso, aliás, RECUSO-ME a aceitar que um ser humano, seja contra os Direitos Indígenas! Seja contra os Direitos das Mulheres! É mau de mais para ser verdade! Bolsonaro, não é solução para nenhum país do mundo! Já que o Mundo virou facções, quem é contra o FASCISTA, não quer dizer que seja PT! Quem é contra Bolsonaro é, simplesmente, a favor da Democracia! Simples assim! Domingo, vota em consciência, por um Brasil livre e sem militares no poder! Brasil, só com amor!

"Para quê separar? 
Para quê desunir? 
Porquê só gritar? 
Porquê nunca ouvir?

Para quê enganar?
Para quê oprimir?
Porquê humilhar?
E tanto mentir?"




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Marine Line Modus Vivendi

Boas!

Embora não pareça, já estamos no Outono e, como tal, a Modus Vivendi, apresenta-nos a sua linha pré-Inverno, com inspirações claras à vida marítima! Já sei, já sei, calma... o modelo desta campanha é o Alexandr Sadykh (eis o seu Instagram) e, as fotos, foram tiradas em Moscovo, na Rússia! =)
Saibam mais sobre estas cuecas
linha Marine, é composta por cuecas (em vários modelos), boxers, camisolas à cava e T-shirts. A palete de cores utilizada, tem inspiração naval, com a aplicabilidade do branco, azul, e vermelho. Tal como foi tendência este Verão, a Modus Vivendi, traz para esta colecção, as clássicas riscas Breton que, se formos bem originais, irão transformar-nos de marinheiros a piratas! Vai uma luta de espadas?
Saibam mais sobre estes boxers
A Modus Vivendi não pára de inovar! Desta vez, as cuecas, apresentam o novo logótipo: "MV"! =D
Visto que o tecido é em viscose e elastano, é confortável e perfeito para quem pratica desporto e, assim, ganhar um verdadeiro estilo náutico! Esta tendência não tem idade, e já agora pergunto: já reuniram a vossa tripulação? Com este tempinho, ainda dá para uns mergulhos e aproveitar o calor!
Saibam mais sobre estas cuecas
Como prometido no mês passado, onde mostrei-vos como são os pacotes que chegam ao destino que escolhemos, quando fazemos a nossa encomenda, é a vez de revelar a primeira peça que...
Cuecas azuis, tamanho M, linha Mesure - frente
... a Modus Vivendi ofereceu-me! É da colecção Mesure! O tamanho será que conta?... =P
Cuecas azuis, tamanho M, linha Mesure - verso
E pronto, 'tou a ter umas ideias assim do género do outro (Mário de Cesariny)... ^^




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Tu, Diogo Infante

Olá!

Sabem aquele livro que saiu este mês, sobre as pessoas LGBT's? Fui convidado a participar todavia, por motivos alheios à oferta deste texto para publicação, o mesmo não foi integrado no projecto.

Tendo em conta que o texto é sobre alguém que admiro muitíssimo, e como penso que ninguém deve ser privado de se exprimir (mesmo no anonimato), ofereço-vos (tal como sempre), estas palavras! =)
Fonte: Página de Facebook do Diogo Infante
"Sabem aquela paixão, quando somos putos, por um ídolo famoso? Eu fui uma vítima dessa onda!

Só aos 16 anos, é que passei a ter net. Até lá, e durante o meu crescimento, as figuras masculinas que me suscitavam interesse sexual, eram aquele modelos bombados em fatos de banho, ou o Ricky Martin (aquela grande bechona!). Eram estas personagens, que despoletavam a seiva natural existente na minha pessoa. Entre os tantos homens musculados que apareciam nas revistas, nem todos eram giros. Os giros, eram os outros  – os homens normais. Esta fase, foi a mais difícil da minha vida, um autêntico “winter is coming” (ou, em dias mais felizes, cumming): aprendi a ler tarde, não tinha amigos, era sempre o último a ser escolhido para jogar à bola, os rapazes gozavam comigo, o cancro de mama da minha tia… enfim, uma infância perfeitamente normal. Tinha défice de referências, ídolos, homens de como gostaria de ser; sem plumas, sem palavras de ordem, sem merdas – simplesmente, seguir as pisadas de alguém. Mas de quem? Quem seria essa pessoa? Quem?...

Diogo Infante, sempre foi para mim, o inacessível. O inalcançável. Conto pelos dedos de uma mão, quantos dos artistas que temos, que tenho a certeza que poderiam ter sucesso “lá fora” e, este, é um deles. O Diogo Infante, não despertava as hormonas que estavam em mim; suscitava o meu cérebro. Ambicionava-o. Queria ser como ele. “Mas, como ele, como?” Não sei. Ter aquele sorriso naturalmente charmoso, ser intelectualmente desafiante, e ter um olhar doce e confiante.

O Diogo Infante, foi a minha primeira paixão.

Como todas as paixões, esta também era possível, sendo para isso, que ambos o quisessem. E, para mim, era só uma questão de tempo… tempo de crescer.

À medida que ia amadurecendo, mais distanciava-se esta paixão. Mais tomava consciência que a homofobia existia. Mais tomava consciência que, não é por gostarmos de um homem, que ele também gostaria de nós… enfim, a dura realidade que a heterossexualidade existe! Ao mesmo tempo, ele, ia fazendo coisas mais e mais incríveis; enquanto eu, rezava a todos os santinhos (e mais alguns!), para passar àquele teste de matemática e, as minhas maiores preocupações, restringiam-se à escola. Era um fosso sem fim.

Para minha enorme surpresa, soube que o meu homem (entre aspas, claro!...), afinal seria gay! Pensei logo: “Como é que um homem destes é gay?”! É verdade, também existem gays bonitos e, nem todos têm de ser acéfalos, ou passar os dias a levantar ferro. Então, e passados tantos anos, cheguei à conclusão, que ainda poderia ter esperança! Ainda poderia existir, o mais belo casal gay em Portugal! E, ainda por cima, ele joga ténis 2 vezes por semana – há algo mais masculino, num homem, do que os seus bíceps bem treinados?... Não contando com os bíceps do braço direito dos solteiros, óbvio.

Durante anos, ecoava nos meus sonhos mais românticos (e, também, nos libidinosos!), a voz deste homem: confiante, amigável, e serena. Aliás, a sua voz, faz levantar qualquer bandeira… Desculpem, não resisti àquela piada nerd eurovisiva!

Há pouco tempo, revi o Diogo. Sim, ele mesmo!! Então? Bom, fui ver a peça “Quem Tem Medo de Virginia Woolf?”, ali, no Teatro da Trindade. OMFG! Como seria normal, não decepcionou. Há sempre aquela coisa, “não queiras conhecer o teu ídolo, para não teres uma desilusão”… bardamerda para os coninhas! Depois de ter perdido o cantor Peter Burns (ainda hoje, ele dá-me volta à cabeça!), encaro os ídolos de uma forma mais humana e, o Diogo, é isso mesmo. Poderia agora, rasga-lo de elogios, patati patata, mas todos nós sabemos quanto vale o “nosso homem” – ele é, o Cristiano Ronaldo da representação e eu…  sei lá, o apanha bolas?!

Porque isto é a vida! Nasci em 1992 (oh yeah, um “garoto”, como se diz no Grindr… aliás, eu não sei! Apenas ouvi de relance na rua…!) e, o Papai, em 1967. 25 anos separam os nossos caminhos. Ao longo destes anos, floresci. Aprendi a maior de todas as lições: não devemos idolatrar as pessoas, apenas as suas acções. E mais: devemos, todos, fazer uma reflexão. Olhar para dentro de nós próprios, e ver que, não devemos seguir cegamente os outros – mesmo quando julgamos serem perfeitos –, devemos ser o exemplo de nós próprios, devemos ser o Sol, e não procurar o Sol nos demais. A escuridão que todos temos, não é solução de nada… como diria a outra, “Je suis Malade”. O Sol está em nós, tal como o vazio. Os nossos amigos (amigos mesmo amigos, não aqueles a quem proporcionamos, ou que nos proporcionam, “finais felizes”), família (o Bobi conta, ‘tá?!), e aqueles momentos que nos dão prazer (como ler um livro técnico, ouvir os Kazaky, ou descer a Avenida da Liberdade [não a subir, claro, que subir cansa as pernas]), são os ingredientes para viver bem! E é isso que tento fazer, todos os dias: juntar as quantidades certas destes três ingredientes, para ter um bom futuro e é isso que vai acontecer. Mais do que rever-me nos outros, revejo-me nas minhas acções e, não preciso de ninguém, para certificar se aquilo que faço é bom ou mau… isso, aprenderei sozinho, tal como cada um de nós aprenderá. A ambição dos vizinhos, envenena os nossos sonhos. E, o meu sonho, é só ser feliz. Conseguirei algum dia?

É isto que mais gosto das pessoas – serem reais. Não terem aqueles tiques de vedetismo, ou aquele desdém que muitos psudo-artistas têm, quando só têm no cérebro serradura. Ser um ídolo, é ser mais do que a banalidade, mais do que ser vulgar… é ser ímpar na mundanalidade. É isto que é o Diogo: um actor que faz teatro, séries, novelas, filmes (Oh Diogo, desculpa lá que te diga, isto é assim, gosto imenso de ti pá, mas tenho de ser franco contigo: no “Pesadelo Cor-de-Rosa” (1998), a cor de cabelo que estavas a usar, não ficava-te nada bem! Vá, beijinho, era só isto!)... Mas bem, é por isso que ainda admiro o Diogo, passados tantos anos. É um homem, com tantas particularidades como eu, ou tu. Não importa de que equipa possamos jogar, ou que limite possa ter o nosso género… o esforço, a dedicação, e a qualidade, não tem paredes, nem território, simplesmente surge – depende simplesmente de nós. E foi aqui, que surgiu o Diogo Infante: um homem como qualquer um, mas com um dom diferente de todos os outros. Qual é esse dom? Bom, encontrem-no, tal como eu já o descobri!

Ele faz o seu dever. Assim façamos nós o nosso. Bela vida!
Boa viagem! Boa viagem!
Boa viagem, meu pobre amigo casual, que me fizeste o favor
De levar contigo a febre e a tristeza dos meus sonhos,
E restituir-me à vida para olhar para ti e te ver passar.
Boa viagem! Boa viagem! A vida é isto...

Álvaro de Campos, Fernando Pessoa."




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Yann Gonzalez

Olá!

Entrevistei, pessoalmente, o francês Yann Gonzalez, realizador de "Knife+Heart" - uma longa-metragem de Terror com temática gay! A entrevista aconteceu aquando da 12.ª edição do MOTELX - Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa, que se realizou no Cinema São Jorge.

Visto que a língua de conversação foi o inglês, resolvi não traduzir o que foi dito (quem não está à vontade com o inglês, basta ir ao canto superior direito do blog, ao "Translate", e seleccionar a língua mais conveniente). A entrevista, foi gravada por meio digital, e foi totalmente transcrita assegurando assim, a naturalidade de uma conversa que durou mais de 10 minutos onde, claro está, foi uma enorme honra para mim puder fazer todas as perguntas que tinha planeado... e ter respostas incríveis!
O realizador e argumentista francês Yann Gonzalez
Lisboa, 8 de Setembro de 2018, no Cinema São Jorge.

Adolescente Gay: How was your childhood and how does it connect with the projects that you’ve made?
Yann Gonzalez: I think that most of my films and what I’m trying to do, in general, is connected to my childhood.  Childhood, to me, is like the basis of everything. I would say childhood and teenage years, so it extended to the teenage years.
It’s funny that you’ve asked this question because yesterday I went to Cascais to see a kind of healer, a French woman, that a friend told me about and she told me that I was 80 % a child still today.

AG: How does journalism enter in your life?
YG: To me, it’s not a very important thing. It was a way just to stay connected to the cinema and to make a life out of it. To me, it was only a game, not something very serious.
So I had some fun and it was very happy years but to me, it was not something important.
I really wanted to make films.

AG: Did you go to college and study cinema?
YG: Yes I went to college, a public college, where I learned about film theory, nothing practical. We were not making films out there. We were just watching films, trying to analyze them and I had the most wonderful teacher in Paris, Nicole Brenez. She’s in charge of the Experimental Program at the French Cinematéque still today, and she opened my eyes to lots of different films and styles of images.

AG: How did you arrive at your last project “Knife + Heart”?
YG: To me, it’s a film that combines, in a very excessive way, lots of obsessions and that it’s trying to mix different genres to a point of no return in a way.
I think it’s the last film that I’ll try to do this way, in terms of mixing genres together, because I feel like I’m a bit fed up with people talking about my references, my favourite filmmakers.
It’s true. It’s very important in my life as much as a movie lover and a filmmaker but I just want to get rid of this and make something maybe simpler and with only one wave of emotions. To me, it was maybe one of my most experimental films, in terms of mixing genres.

AG: How was your experience this year in Cannes, given the case that your movie was nominated?
YG: It was super intense. It was something out of this world. It was a dream coming true because since I’m a kid, I want to make movies. Since I wanted to make movies, my craziest dream has been to go to official competitions in Cannes.
It was a bit weird to go there with my second feature film because now I don’t have a better dream than this one.
So I was floating. I was on air but at the same time, I was not. I think I tried to protect myself from this intensity, from all these intense and contradictory feelings that I was receiving.

AG: So you had a sense that you were more than 80 % child that time?
YG: Oh yeah. I was like 95 %.

AG: Why did you choose Vanessa Paradis?
YG: Because she’s an icon. Because I think she’s a great actress. I think she has this inner child that is very visible, very important. Our connection went through this inner child in each other.

AG: So you recognized one in the other?
YG: Yes.

AG: What was the biggest challenge in shooting the movie?
YG: It was super difficult. I think it was the most challenging thing that I’ve ever made. Everything is difficult but this one was excruciating. To me, it was like a big, big challenge since we didn’t have a big budget. We had like 2,6 million which is nothing because we had so many characters, so many actors, so many locations, special effects and animals shooting on film.
So, all of this was super expensive and every time I was going on set, every day, we tried to create a new challenge for every shot, for every sequence.  To us, it was really important.

AG: Why did you make a horror film that is porno-gay?
YG: Because I heard of this amazing character, a woman surrounded by a group of men and dominating them.
I thought it was really interesting. I think I’m a kind of sex-obsessed.
I like eroticism in film so when I heard of this woman working in the sex industry, I was really excited.
The silliness of the films she made. I like being silly in my films. I don’t take myself very serious. I just, as the woman told me yesterday, want to have fun and be a kid on my set and play with my images, with my actors, just to laugh.
I respect my characters a lot and I take them very seriously but at the same time being silly with your characters, to me, is taking them seriously.

AG: Do you think that the gay community is particularly susceptible to this kind of horror?
YG: Yes, because to me there is something about transgression in horror films and when you’re a kid, when you feel that you are gay, there’s a kind of transgression within you.
So when you see those kinds of films, which are very transgressive, which are breaking and fighting the norm, it’s a bit of a mirror image of your own struggle.
It’s empowerment at the same time. It’s like your inner self, your secret self, your secret homosexuality exploding with the blood and splatter.

AG: What is the relationship between M83 and the movie and particularly with you?
YG: Well he’s my brother.  It’s difficult to talk about my brother. When we work together he’s someone very demanding, very doubtful as I am but in a more secret way.
I think he was very scared of making this film because it was a lot of new things for him like making the soundtrack of a porn film for instance. He’s not sex-obsessed like I am so I think it was something may be difficult for him.
At one point he was not finding the right tone, the right colour of the soundtrack and we kind of fought because of this, but then when he found the first theme that was right, it was marvellous.


AG: Considering that my blog is addressed to the gay community, what message would you like to give to Portuguese readers?
YG: Be joyful. Embrace life. Embrace your partners. Embrace sex. Just be yourself and don’t be afraid of anything.


Caso queiram falar comigo, também estou sempre disponível.
E-mail - adolescentegay92@gmail.com

Trailer de "Knife+Heart" (título original: Un couteau dans le coeur), de Yann Gonzalez, 2018.




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Saldos Verão '18 Za 2/2

Olá Olá!

E hoje termino de contar-vos, as minhas comprinhas deste Verão, aquando dos Saldos. Na semana passada, contei-vos da compra que fiz na Cortefiel - um fato de 200€. Mas, agora, vem a questão: e que tal uma camisa e uma gravata, para acompanhar? E não é que pensamos na mesma coisa!? xD
Clica na imagem para ampliar!
Claro, para um fato daqueles, ia precisar de comprar uma bela camisa e uma gravata! De facto, a Zara tem tudo! Já lá fui comprar tanta coisa! Em 2015, fui à Black Friday (tal como em 2016, e 2017). Fiz lá compras nos Saldos de Inverno de 2016 e 2017, e de Verão, em 2016, também 2017 e agora, 2018!
Clica na imagem para ampliar!
É momento de avançarmos (sem descontos)! A gravata grená (tamanho único), no exterior é 100% seda (amoreira), e custou 19,95€. A camisa branca básica (tamanho M), super slim fit, com 78% em algodão, custou-me o mesmo. Assim, o gasto nestes saldos foi de 239,90€ (tendo poupado 38,99€).

Porque a Eurovisão também serve para reflectir. Itália, este ano, representou todos nós. Obrigado!




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

4º Semestre

Boa noite!

As aulas estão a começar! Sim!! Começo agora o meu último ano de faculdade! Por um lado, estou mega feliz - vou ser Licenciado e, assim, tenho mais hipóteses de ter uma vida melhor. Por outro, morro de medo - e se o futuro não será tão risonho quanto penso? Não importa nada disso agora.
Adoro esta imagem. Porque realmente penso que as coisas são assim: o medo vem durante a noite e, é a nossa infantilidade, que o afasta. Sinceramente, penso só temos a crescer, se mantivermos (conscientemente), a nossa meninice acordada, e de bem connosco próprios. É urgente mantermos sanidade nos nossos corações, apesar de tudo aquilo que possa acontecer - o medo não vencerá!

Vamos agora ao balanço, deste 2.º Ano de "Vida Universitária". Perante o que aconteceu no último Semestre, era normal arranjar um novo grupo de trabalho. Mantive a rapariga com quem trabalhei bem, e resolvemos juntar as melhores pessoas com quem já tínhamos trabalhado. Para que tudo corresse bem, eu e a minha colega seriamos os "chefes"/"responsáveis" pelos trabalhos, isto é, nós é que orientaríamos a divisão dos trabalhos, e estaríamos a controlar os prazos de entregas.

Todo correria bem, se passariam das palavras aos actos. Isto é, se cada pessoa cumprisse a sua parte. Sim, mais uma vez, as coisas correram mal. E, correu mal, por coisas estúpidas. Primeiro, não cumprem prazos. Mas porque raio não cumprem prazos, porra? Porque motivo? Depois, a parte dos meus colegas, era um trabalho muito amador... estávamos no 2.º Ano de faculdade e, já era suposto, fazermos coisas "boazinhas", e não uma investigação "pela rama" (claro que me passei...). E, agora, vem o que acho mais parvo. Ora, eu e a minha colega, éramos os responsáveis por juntar todas as partes de todos os trabalhos, etc e... imaginem, receber "Words" cheios, mas cheios, mas cheios, de erros ortográficos? SIM - erros ortográficos! Para além dos erros, havia tipo "5 linhas" sem uma única vírgula!! Eu passei-me. Passei-me mesmo! Como é possível, pessoas que fizeram o 12.º Ano, estão na Faculdade Pública, escreverem com tantos erros ortográficos? E a pontuação? Vergonhoso!

Com a minha colega, perdemos dezenas de horas, apenas a corrigir erros. Um desperdício de tempo da nossa parte, tudo isto porque as nossas colegas (eu era o único rapaz), recusaram-se corrigir, pois diziam que não havia qualquer erro, ou que era do "corrector automático que está avariado". Pior! Pior é ver uma delas, que dizia sempre que não podia reunir-se, publicar no Instagram a ver o Pôr-do-Sol. Caralho para elas todas! Vão morrer longe! Eu e a minha colega estávamos fodidos e decidimos, que no próximo Semestre, não trabalharíamos com elas. Iríamos, novamente, arranjar um grupo novo.

Pensamos muito e, ainda antes do Semestre acabar, falámos com um casalzinho, que participou nesta cadeira, e perguntámos se queriam fazer grupo connosco no próximo ano - ao que eles disseram que sim. Reforçámos que seríamos apenas os 4, e que, de forma alguma, entraria mais alguém (sim, porque a umas semanas de entregar um trabalho, houve uma tipa que entrou no grupo, porque as restantes elementos tinham muita pena dela....). É melhor sermos como as "Tartarugas Ninja", e menos como os "Vingadores" - sobra mais trabalho para cada um mas, ao menos, é malta séria.

Em relação às notas... passei a tudo! =D Tive, inclusive, o meu primeiro 18!! Sim, 18!! OMFG, sinto-me tão incrivelmente e, superiormente, inteligente! Ahahahah! Em relação às amizades com os meus coleguinhas: quanto menos contacto, melhor. Sorrio, finjo-me de distraído, e tudo corre pelo melhor.

Porque temos de ter um Reino Interior se não... estamos fodidos. Com calma, chegamos lá! =)




Beijinhos e portem-se mal!! ;)