Em Setembro: lê as entrevistas EXCLUSIVAS aos realizadores Miguel Gonçalves Mendes, Gonçalo Almeida e ainda ao Director do MOTELX Pedro Souto! =D

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Faço Voluntariado

Olá Olá!

É verdade - faço voluntariado. Já faço voluntariado há uns anos mas, sempre, em acções pontuais. Queria algo mais sério. Queria, realmente, fazer a diferença na vida de alguém. Sempre que fiz voluntariado, era algo bastante complicado: cada organização, tem diferentes formas de trabalhar e, em algumas vezes, sentia-me realizado todavia, noutras, sentia-me um escravo e, até, humilhado.

Antes de começar a participar, enquanto voluntário, em acções pontuais, investiguei sobre o assunto. Todavia, tinha muito medo. Tudo aquilo que sabia que necessitava de voluntários, era para trabalhar com pessoas portadoras de deficiência e, com doentes hospitalares (dar comida à boca, etc). Sinceramente, nenhuma dessas duas áreas suscitava-me interesse. E mais, tinha medo de errar e, de prejudicar alguém. Já viram a responsabilidade que é, alimentar uma pessoa incapaz de o fazer? Ou, até, de fazer companhia / participar em actividades com pessoas portadoras de deficiência - eu não sei lidar com autismo, e as demais doenças psicológicas... e se eu fizesse merda? Não, não, não!! =(
Contudo, a ideia nunca desapareceu. A semente existia. A vontade estava lá. Mas faltava...  qualquer coisa! Fui "empurrado" - e, diga-se, bem empurrado! - , para este Mundo que se abriu, mesmo diante dos meus olhos. Quem foi, quem foi, quem foi? Uma colega de turma, mais velha, que fazia voluntariado. Onde? No IPO de Lisboa, dava o almoço aos doentes terminais. Disse-lhe logo, que não conseguia fazer aquilo... estar em contacto, sistematicamente com pessoas doentes, não iria aguentar. Ela disse-me que só o fazia, porque foi lá que o seu marido tinha morrido e, assim, sentia-se obrigada em ajudar quem não tem apoio dos familiares e, a maneira que ela encontrou, foi alimentar os doentes que sofrem com a mesma doença que vitimou o grande Amor da sua vida...

Pensei naquilo. Mas, de facto, não tenho a capacidade emocional de estar em contacto com doentes e, como ela própria dizia (e diz, porque continua a ser voluntária no IPO), às vezes apercebe-se que, aquela pessoa que está a alimentar, não irá durar mais uma noite ou, às vezes, quando volta passado uns dias, vê que as camas onde tinha estado, estão a ser ocupadas por outros doentes (os que lá estavam, morreram entre tanto) e, acrescentava: "o que mais me custa, é ir à ala pediátrica...". Fora de questão! Acho que, se fosse para um sítio desses, passaria todo o tempo a chorar e, em vez de dar Força, e distracção, seria ainda pior! Não! Eu tinha que sentir-me bem, para onde fosse! Tinha que ser um projecto que emocionalmente, fizesse-me crescer e, pudesse melhorar a vida de alguém. Lá está, ganhar Mundos! Evoluir, melhorar enquanto Homem, e ser uma pessoa mais lúcida e solidária.

Investiguei mais a fundo, contactei alguns locais e, apercebi-me, que os reclusos são alvo de acções voluntárias. Senti que seria um projecto a ter, durante uns bons meses... Queria perceber, o homem que é condenado (porque sim - ele tem uma história que, não é melhor nem pior que a tua)! Posso julgá-lo? O que sei eu da vida de alguém que rouba? O melhor de assistir a julgamentos, é perceber que temos muito a agradecer a vida que temos e, há vidas, tão mas tão difíceis... Não desculpo quem rouba, apenas quero entender a pessoa que existe, para além do óbvio! Porém, por aconselhamento de alguns amigos, não me meti nas Prisões. Tenho pena. Sociologicamente, penso que seria uma mais valia para mim. Assim, tinha que arranjar uma solução. Para onde deveria ir?

Pensei em dar explicações a crianças de Bairros Sociais, tentando assim evitar o Abandono Escolar. Porém, quando começamos a conhecer "certas e determinadas" associações e projectos, só nos apetece é fugir! Deste modo, tinha que encontrar outra coisa. Não imaginam o tempo que perdi nisto! E-mails para cá, chamadas para lá, reuniões, dilemas existenciais... Mas eu estava decidido: queria ser voluntário, durante um ano, todas as semanas! Queria mudar a minha vida, mudando alguém!

Ser voluntário é uma acção egoísta, penso. Fazemos, porque queremos sentirmos-nos bem. Todavia, estamos a dar tanto aos outros que, depois percebemos, que nós é que estamos a ser alvo de voluntariado. Os outros é que nos ajudam. Levamos com um banho de Humildade, de Realidade, e de Nós-Mesmos, que nem vos passa pela cabeça! Assim, resolvi meter-me com um público difícil porém, tinha certeza que conseguiria desenvencilhar-me: os idosos. Aqueles dos Lares, que comem através de sonda? Que passam os dias sentados, a babarem-se? Não! Os das Academias Seniores!

Então, assim foi. Depois de ver vários projectos, correspondi-me com alguns deles e, depois de reunir-me com o projecto que mais dava-me estabilidade e, melhor satisfazia os meus interesses, aceitei. Assim, durante o ano lectivo 2017/2018, fui professor voluntário, e tinha como alunos, malta com idade para serem meus avós! Foi uma experiência... incrível! Ganhei-lhes o respeito e, o mesmo aconteceu com eles, em relação a mim. O facto de dar aulas a pessoas de 70 e 80 anos, homens e mulheres, fazia-me ver tantas coisas... E as discussões que tínhamos em aula? Lindo! Aprendi tanto com todos eles! Eu! Eu é que fui alvo de voluntariado! Eu, o puto daquilo, mais novo que os netos mais novos de alguns deles, estava ali a dar aulas. Foi difícil. Foi duro. Foram meses rijos mas... repetia-os!

Óbvio que fiquei com o contacto de alguns deles. Falamos-nos. Já fui a uns almoços, mesmo já sem continuar lá! Ainda agora, por exemplo, fui ao Almoço de Natal da Academia Sénior, e já nem sou professor... Incrível. Incrível. Um projecto bem pensado que, muda a vida a tanta gente! Muitos dos meus alunos, eram pessoas que não querem entregar-se a algo. Uns, viúvos, outros com problemas oncológicos, outros a solidão mas, todos tinham uma coisa em comum: vontade de si próprios!

Lamentavelmente, e visto que estou no terceiro - e último -, ano da Faculdade, não estou envolvido em qualquer projecto de voluntariado de forma continua. Todavia, não tenciono parar. Conhecem a Filantropia? Pois, em Portugal não se liga nenhuma mas, nos EUA, é bastante comum. Estabeleci contactos e já comecei a ajudar pessoas de todo o país, sem eu sair de casa! Quando se quer!...

Para este 2019, peço que reflictam nisto. Pensem, de forma séria, em ajudar os outros. Apoiar e... serão apoiados. Não falo na caridadezinha. Sejam homens, porra, com os colhões no sítio, e ajudem! Encontrem a vossa vocação, enquanto voluntários, e transformem a vida de alguma pessoa.

Pensem. Ser blogger, leitor, comentar aqui ou ali, e ser treinador de bancada, não é ser voluntário.
Ajudem, cara-a-cara, os outros. De forma regular, mas com entrega total da vossa parte. Tenho a certeza, que tornar-se-ão, ainda mais, pessoas melhores. Cresçam, que ainda vão a tempo! =)




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Carta ao Pai Natal 2018

Olá rapaziada!

Tudo bem convosco?

Tenho andado extremamente cansado. Exausto mesmo. A Faculdade dá cabo de uma pessoa, ainda para mais, é o último ano. Só me apetece fazer uma fogueira, e queimar tudo... Mas depois penso em respirar e que, tudo isto, daqui a seis meses, deixa de existir - finalmente, serei Licenciado (e, desempregado)!! Até lá, há que passar as passinhas do Algarve, e ver se não mato ninguém sem querer... xD Ando a pensar em tanta coisa...! E, sozinho. Será que poderíamos voar para o Paraíso?...


Ao contrário do ano passado, acho que o Pai Natal não é um Daddy mas sim, um tipo com pouco mais da minha idade (uns 30's, vá). Enfim, a cavalo dado, não se olha o dente! Ele que venha, independentemente da sua idade! Ahahahah! Bom, se for um tipo tonificadão, melhor, né?! =P

Vamos é aos pedidos natalícios!

Ouvi, esta semana, aquela frase "Tem pouco Mundo". A frase não foi para mim mas, fiquei a pensar naquilo. Quer frase tão snob! Vocês conhecem a frase? É terrível - chama a outra pessoa como inculta! É tão vil! Tão baixa! Tão feia! Mal ouvi aquilo, demorei uns segundos a decifrar aquilo e, saí em defesa da pessoa que era alvo. Não, aquilo não se diz a ninguém! Cada um tem o seu Mundo!!

E é isso que peço-te, Pai Natal. Peço-te experiências. Peço-te viagens. Sabes que tendo gasto mais dinheiro em actividades, do que em roupa e, de facto, roupa não preciso. Não quero roupa. Quero é dinheiro, para viajar, para conhecer, para falar com pessoas diferentes. É disso que tenho falta. Não tenho falta de Mundo, tenho falta de Mundos! Conhecer o Mundo de outras pessoas! Não há Mundos melhores que os outros mas, bem sei, que todos temos tanto a aprender uns com os outros...! =/

Claro, se quiseres oferecer uns relógios, daqueles que se contactam ao telemóvel, seria simpático da tua parte! Ah, e já agora, se quiseres oferecer uns livros universitários, também era generoso vindo de ti! E mesmo sem ser livros para a faculdade - sabes, ando com uma grande vontade de ler os Clássicos Russos, mas em português, evidentemente! Tens aí alguma coisa? Manda-me Pai Natal!

E quero outra coisa - tempo. Tempo. Tempo para dormir mais. Tempo para ver as minhas séries. Tempo para ver os meus filmes. Tempo para o blog. Tempo para mim mesmo. Tempo para os outros. Sinto falta de dedicar Tempo aos outros. Penso que, não podemos evoluir, sem olharmos ao redor.

E quero desejar-vos, a todos, um belo Natal. Que seja uma época de doces, sossego, e Saúde. E não sejam Bichas Modernas, e segunda-feira à noite, comam Bacalhau com Todos, tal como farei! =)

O Andrea Bocelli é óptimo mas,  nada melhor que o original - Elvis Presley e Martina McBride! *.*




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Coletes Coloridos

Olá.

Mais o tempo passa, mais encho-me de questões. "Que caminho é este, Senhor? Que caminho é este que os Homens tomam?  E no fim, o que iremos encontrar?". Ando católico? Not really, mas quando perdemos a noção das coisas, começamos a rogar a todos os Santinhos. Sinto-me fodido... e perdido!

O Natal vem aí, e com ele um Novo Ano contudo, só vejo merda. Merda. Merda por todo lado. Quem fez essa merda toda? Nós! Todos nós! Temos as mãos, a cara, e todo o nosso corpo, repleto de toda a merda do mundo! Sim - somos uns merdosos cobardes que, merdamo-nos diante o futuro!

Que futuro é esse? É o caminho que estamos a percorrer e, esse caminho, é só merda. Merda. Mas, agora perguntar-me-ão, que merda é essa? Que cheiro tem? Que aspecto? Qual a sua origem? Este texto, é para descobrirem algo de simples conclusão: a merda, é unicamente, cagada por nós.
"A raiva do povo. A precariedade é um negócio. O mundo somos nós." Stephane Mahe/Reuters
Comecemos pelos Estados Unidos, o Trump. Esta semana, o Presidente dos EUA, ameaçou o Governo, em relação ao Muro que este insiste em construir. Agora pergunto: E a caravana de migrantes? Porque motivo a Comunicação Social Portuguesa, deixou de falar sobre o gravíssimo problema social e humanitário que lá existe? Em vez de fazerem reportagens sobre quem assalta as vedações, porque não constatam a forma terrivelmente miserável como vivem nos seus países?...

Por falar em insanidade mental, há que falar do Bolsonaro. O Brasil anda completamente... irregular! Poderia falar, da dificuldade que o fascista tem em arranjar ministros. Poderia desenvolver o facto que, as pessoas que o homofóbico escolhe para o Governo, estão envolvidas em casos judiciais. Poderia ainda falar de tanta e tanta coisa mas não: vou falar apenas, de uma futura Ministra brasileira.

Damares Alves, será a Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos. Ela também é advogada e Pastora Evangélica. Damares Alves, pretende construir um "Brasil sem aborto", pois afirma: “Eu sou contra o aborto. Nenhuma mulher quer abortar. Elas chegam ao aborto, porque, possivelmente, não foi lhe dada nenhuma outra opção. A mulher aborta acreditando que está desengravindando, mas não está.”. No Brasil, uma das três situações que permite o aborto, é a violação mas... esta pretende criar a chamada "bolsa estupro", isto é: o pagamento de uma bolsa, à mulher violada, que decida ter o filho.

Ahh e antes que me esqueça, há que falar de Ezequiel Teixeira. Quem é este? Segundo a sua página de facebook, é "Deputado Federal pelo Rio de Janeiro, Pastor e fundador do Projeto Vida Nova, conferencista internacional.". Ficaram na mesma? É um deputado que, em 2016, criou o Projecto de Lei 4.931. Que projecto é este? Visava a Cura Gay. Sim, este homem continua a exercer funções!



Agora, os franceses. Fico arrepiado com o que está a acontecer. Fico num sentimento agridoce. Por um lado, penso que este caminho [a violência] não é solução mas por outro, tenho pena de não estar com eles [fisicamente]. Ir a manifestações é violentíssimo. Gritar pelo o que acreditamos, é de uma coragem tida por poucos. Ao ver o que se passa em França, faz-me sentir um cobardolas merdolas. Nunca esquecerei, a Manifestação de 12 de Março de 2011, onde estive presente, da "Geração à Rasca". Fui sozinho, mas não tive medo. Hoje, os meus pensamentos estão com eles, os franceses.

Eles lutam pelo que acreditam. E, todos eles lutam: anarquistas, esquerda e direita; urbanos e rurais; homens e mulheres; migrantes e nacionais; novos e velhos. O que mais me comove é, ver reportagens das manifestações, onde estão mulheres na casa dos 60's, a dizer que estão ali a lutar não por elas, que afirmam ainda ter o que pôr na mesa, mas sim pelos seus e por quem não tem dinheiro... =(

A Primavera Árabe chegou à Europa? Sim, a escalada de luta está a propagar-se para outras regiões, especialmente Itália e Catalunha. E por falar em Primavera, que merda aconteceu na Cimeira do Clima?! Já agora, porque ninguém fala da Huawei? E os jornalistas da Reuters, presos em Myanmar: se a Time considerou-os Personalidades do Ano, como é que ainda é possível, a Comunicação Social Portuguesa, não ter falado nada do assunto? Os jornalistas sérios, merecem ser lidos, com liberdade!

Coletes Amarelos? Não. O que precisamos são coletes de todas as cores e, em todo o Mundo. Todos nós, devemos lutar sempre pelo que acreditamos. Sou a favor de todas as lutas, desde que estas tenham como finalidade a Paz. Em Portugal, vive-se numa inércia Queirosiana, onde a Esquerda está refém dos seus compromissos e, a Direita, é inexistente; o que mexe, mas pouco, é a Extrema Direita Portuguesa. Pressente-se que é esta última, a organizar as coisas por cá - veremos o seu (in)sucesso.

Duvido sempre quando apresentam um único caminho. Nunca há só um caminho, quando há Amor.




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

X-Lux + Festive Line Modus Vivendi

Boas!

Trago a solução para todos! Sim, aquelas comprinhas de última hora, agora já estão resolvidas! Já fizeram as encomendas natalícias, nas vossas pastelarias favoritas? E a Árvore de Natal, já está feita, certo? Este ano, terão Presépio, com ou sem musgo natural? E este ano, a Ceia é em casa de quem?
Saibam mais sobre estas cuecas
Tamanho o sucesso da publicação do mês passado, resolvi repetir a proeza. Hoje, divulgarei, duas outras linhas da Modus Vivendi. Têm tanto por onde escolher, que o difícil será manter o orçamento previamente pensado para o Natal. Mas... o Natal é quando o Homem quiser e... sejam regrados! =)
Saibam mais sobre esta manga à cava, e estas cuecas
Lá está, para não baralhar, apresento-vos uma linha de cada vez! E comecemos pelo modelo, pode ser? Este chama-se Jorge Piantelli e, ao clicarem na hiperligação, serão reencaminhados para o seu Instagram. Esta linha tem como mote, os Fogos de Artifício, característicos desta época e... as jóias.
Saibam mais sobre estes boxers
A linha Festive, é composta por cuecas (em vários modelos), boxers, camisolas à cava, T-shirts e, calças. Esta colecção, está disponível em preto e ouro, tem o logotipo clássico e, o cós, é brilhante.
O fabrico em elastano algodão, combinado com tecido brilhante plissado cetim, esta linha é ultra-luxo.



A publicação de hoje, faz homenagem ao brilho. Estas peças elegantes, correspondem às nossas expectativas de tecido de alta qualidade, exclusividade e estilo. Estas colecções, foram feitas para impressionar e, para desfrutarmos esta época, como bon viveur, entre amigos e na Paz do nosso Lar.
Saibam mais sobre estas cuecas
Vamos começar, como sempre, pelo modelo. Este chama-se Konstantinos Konstantinou e, este, é o seu Instagram. A sessão fotográfica foi feita no Chipre e, como verificarão, é ideal para as mini-férias e feriados que se aproximam - tanto captará olhares românticos num Chalé, como numa Cidade!
Saibam mais sobre estes boxers
A linha X-Lux, é composta por cuecas (em vários modelos) e boxers. Esta colecção, está disponível em preto e cinza, tem o logotipo clássico e, na cintura, há brilhante disponível em vermelho ou prata.
O fabrico em tecido elastano veludo micromodal macio, esta linha é, tal como a outra, ultra-luxo!
Saibam mais sobre estas cuecas
Como prometido em Setembro, onde mostrei-vos como são os pacotes que chegam ao destino que escolhemos, quando fazemos a nossa encomenda, é a vez de revelar a terceira peça que...
Cuecas prateadas, tamanho M, linha Glamour Low Cut Brief - frente
... a Modus Vivendi ofereceu-me! É da colecção Glamour! Também há em douradopreto! =P
Cuecas prateadas, tamanho M, linha Glamour Low Cut Brief - verso
Ah é verdade, caso também precisem de acessórios (meias, ligas, cintos, cachecóis...) comprem aqui!




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Menezes Cordeiro

Boa noite!

Sabem com quem estive ontem? Com o Menezes Cordeiro! Sim! Ele mesmo! Não se lembram de quem é? Pois, é normal: ninguém comentou sobre o que ele escreveu, no seu mais recente livro.
António Menezes Cordeiro
Eis um parágrafo, do seu mais recente livro, Direito do Trabalho I, publicado no mês passado:
"A vida íntima de uma pessoa pode, em qualquer momento, ser conhecida; e sendo-o, pode prejudicar a imagem de uma empresa. Assim, como exemplos: para quem pretenda lidar com valores, melhor será que não tenha cadastro e que não esteja insolvente; um homossexual não será a pessoa indicada para vigilante noturno num internato de jovens rapazes; uma recém-casada não pode ser contratada como modelo; um alcoólico fica mal num bar, o mesmo sucedendo com um tuberculoso numa pastelaria ou com um esquizofrénico num infantário. Não vale a pena fazer apelos ao politicamente correto, nem crucificar os estudiosos que se limitem a relatar o dia-a-dia das sociedades: o Direito vive com factos e não com ideologias." (página 566)

Tudo é desapontante. Tudo. Poderia, estar aqui a esmiuçar cada exemplo mas... valerá a pena? Claro que não, é tão absurdo, que nem irei infantilizar-vos a explicar esta estupidez. Todavia, admiro-o.

Ele é, indubitavelmente: o civilista obrigacionista, mais influente em Portugal; um dos civilistas mais importantes do nosso país e; um dos mais reconhecidos professores Catedráticos, e dos mais influentes que temos. Ele é, um grande influenciador, junto dos nossos legisladores. O que ele escreve, torna-se lei; o que ele diz, não é posto em causa; o que ele acha, todavia, deve ficar para ele. Admiro-o sim, mas decepcionou-me tanto...

É surpresa para mim? Não. Eu já sabia destas suas... opiniões. Já aquando da co-adopção (quer na FDL, quer na AR), este tinha feito umas declarações chocante! Bom, só espero que o filho, o Barreto Menezes Cordeiro (na FDL é só dinastias), não siga o exemplo de seu pai (pelo menos, nesta caso!).

Todavia, e passado uns dias deste caso ser notícia, o senhor professor doutor, resolver vir esclarecer as coisas. Esclareceu? Não, muito pelo contrário - enterrou-se ainda mais. Mas lá está, como ele diz sempre, não está preocupado com o politicamente correcto, nem ambiciona cargos políticos...!

Quanto à frase, "uma recém-casada não pode ser contratada como modelo", este admite que "houve um lapso" e que, quereria dizer, "mulheres que tencionem engravidar". Really? =(



O Catedrático, queixou-se das inúmeras críticas, afirmando que "as frases foram retiradas do contexto", e acrescenta: "Em todo o livro defendo que ninguém deve ser discriminado em função da sua inclinação sexual, está na Constituição e já antes o defendia. Acho que os homossexuais são pessoas como quaisquer outras.Tenho bons amigos homossexuais, dos quais gosto muito, não tenho nenhum problema com a sua inclinação sexual". Inclinação sexual? Seriously??? =(

Em relação aos homossexuais, este indica que, tem de se "adequar o perfil à função": "para defesa dele e da empresa e para defesa dos miúdos. Se ele não fosse contratado, não era discriminação". Ainda: "Não estou a dizer que não possa ser contratado, existe uma razão objetiva para não o ser"; e dá um exemplo, "As senhoras revistam as senhoras e os cavalheiros revistam os cavalheiros." Também diz: "Se uma mãe de família tiver um filho numa instituição certamente que iria preferir que não fosse um homem homossexual a lidar com ele". A sério que estou a ler isto? =(

E para rematar: "Colocar um heterossexual a vigiar um internato de raparigas também não é adequado, não é discriminatório, não é proibido, mas não é adequado". Vale a pena comentar? =(

Vá, calma, tenho a solução perfeita: Rendimento Básico Universal. Para quem? Para todos nós! Homossexuais, heterossexuais, recém-casadas, e por aí fora! Ai ai ai... esta gente, esta gente! =(

Deixem ser o que quiserem! Larguem as pessoas! É urgente a Liberdade! Vivam, sem merdas!



Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Os Crimes de Grindelwald

ATENÇÃO! ATENCIÓN! ATTENTION! 

Protejam os que amam! Reforcem os encantamentos de protecção do vosso abrigo! Aparatem no local mais longínquo que conheçam! Sim: Grindelwald, fugiu!
Como fã dos livros, e filmes (que nada têm a ver com os livros), da saga "Harry Potter", era óbvia a minha necessidade (vital, vá), de ver este filme, o mais depressa possível! Dia 15, comprei os bilhetes para, domingo, dia 18, ver o filme (em ATMOS)! Porquê tanta antecedência? Queria garantir, que iria vê-lo, na sessão pretendida, e... com a minha mãe. E, ela, nem adormeceu, durante toda a sessão! XD

Como verdadeiro fã deste Mundo, resolvi seguir o esquema da "Guerra dos Tronos": seguir tudo o que ia saindo, incluindo, espreitar os (algo repetitivos) youtubers, dedicados a este imaginário! Fui para o filme, completamente cheio de spoilers mas, queria ver o filme, já percebendo o que ia acontecer. Todavia, ainda consegui ser surpreendido e, amar (como não amar?!) toda a história de J. K. Rowling!

Antes de mais, há que responder às críticas. Assim, irei começar pelos aspectos negativos deste filme. Segundo o site "Rotten Tomatoes", este filme tem uma má crítica, considerado por muitos, como um filme de passagem Sim, é um filme de passagem, tal como foi o livro/filme, "Harry Potter e o Príncipe Misterioso". Contudo, são essenciais para a trama, uma contextualização, e um momento de paz, antes do grande clímax. Apenas acho que o filme de "encher chouriço", veio demasiado cedo!...
Agora, tudo o que veio de bom! Dumbledore (Jude Law) apareceu! McGonagall (seja a própria [que, supostamente, ainda não era nascida], ou alguém da família), apareceu! Nagini (Claudia Kim), a cobra do Lord Voldemort, apareceu! Leta Lestrange (Zoë Kravitz [sim, filha do Lenny Kravitz]), a que trocou o irmão, e familiar da puta da Bellatrix Lestrange, apareceu! Gellert Grindelwald (Johnny Depp), o ex-companheiro do Dumbledore, apareceu! E, para mim, a melhor personagem deste filme, a personagem que mais surpreendeu-me... Nicolas Flamel (Brontis Jodorowsky), apareceu!! =D

Se gostei do filme? Claro! Principalmente, no final, quando estão no Mausoléu. O discurso do Grindelwald foi, para mim, emocionante - referiu que, iria existir, uma Guerra Mundial (a 2ª), e que eles teriam que intervir. Depois, o clímax perfeito, foi quando surgiu o dragão, que iria acabar com Paris... se não fosse a coragem do Nicolas Flamel, hoje em dia, Paris não existiria. A cena do dragão, é extraordinária! Quem sabe, se num dos próximos filmes, não usarão o Cemitério dos Prazeres?!

Vejam o filme, mesmo que não sejam fãs. Aposto que terão um momento bem passado! =)




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

P.S. - Quando Grindelwald vai ocupar uma casa em Paris, este tem contacto com uma criança pequena. Porém, este não a mata (manda matar), ao contrário de Lord Voldemort, com o Harry Potter. Esta cena, no filme, era necessária?!...

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

WORST OF

Olá, boa noite!

Domingo passado, fui ao Teatro Nacional D. Maria II, ver "Worst Of", do Teatro de Praga! =D
Sessão com conversa com os artistas após o espetáculo
Primeiramente, não conhecia a Companhia. Não fazia ideia da sua existência, até ao facto da São José, na entrevista que concedeu-me em Setembro, ter falado deles e, que ia, participar numa peça a estrear dia 1 de Novembro. Fiquei com essa "fisgada", reuni um grupinho da blogosfera, e lá fomos!
"Fígados de Tigre", de Gomes de Amorim (1857)
Nestas coisas sou muito precavido e, fiz questão de comprar os bilhetes com antecedência: queria garantir que ia ver a peça, ainda para mais, no final da mesma, haveria conversa com os actores!! Bilhetes comprados, tentei investigar o menos possível da peça e, domingo, pus os pés ao caminho!
Teatro Nacional D. Maria II
Um dia terrível de chuva e vento forte mas, a Cultura, vem sempre em primeiro lugar! Entrámos, ficámos na 3ª fila (C10) e, tudo começou! Sou-vos franco, preferi a primeira parte da peça, ao invés
da segunda. Na primeira parte ri, mas ri mesmo muito. Na segunda... nem por isso, e fiquei confuso.
"A Ceia dos Cardeais", de Júlio Dantas (1902)
Vamos aos aspectos negativos da peça: gostava de ter percebido melhor, a distinção de papeis entre a São José e a Márcia Breia; a Ceia dos Cardeais (que li, há uns anos), tem partes muito melhores do que a cena escolhida e; achei que foi dado pouco protagonismo, à incrível actriz, Cláudia Jardim.
Em destaque, o actor Pedro Penim
Agora, aspectos positivos: o melhor actor em cena, foi o Pedro Penim; a melhor parte, foi a do "Português, Escritor, 45 Anos de Idade"; gostei da diversidade de obras escolhidas para a peça, bem como o paralelismo dos 4 actores convidados e dos 4 actores "Praga" e; o actor Rogério Samora.
No fim da sessão, fomos comer uma fatia de bolo, ao Café da Bertrand
Agora, vamos a preços. Eu, que sou jovem, para estar na plateia, paguei 12,75€. Caro? Não! Quanto pagam vocês, para entrar no Trumps ou Construction? Ah pois é! Vamos lá, deixem de ser forretas, e paguem pela Cultura (da boa!)! Vão mais ao Teatro, principalmente ver comédias, tal como esta!

Eis o trailer de "Worst Of". Não se esqueçam, termina dia 18, já este domingo!!! Vão ver! =P




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Web Summit... every day!

Olá!

A melhor época para quem anda de metro, de forma diária (como eu), é na Web Summit! Porquê? É ver o metro a circular com pouco tempo de intervalo, composições com 6 carruagens (e não, 3!), e greve... nem ver! Estamos cheios de turistas. Sim, e daí? Pelo menos, dá para ver pessoas diferentes!
Web Summit 2018
Esta quarta-feira, aconteceu-me uma coisa estranhíssima! Aliás, até pode ser comum mas, nunca sucedeu comigo! Fui levado para uma nave OVNI?... Nop, isso é só no canal História!... =/

Ora, estava eu, muito bem, em São Sebastião, para apanhar a linha azul, em direcção ao Colombo, até que vejo a plataforma, está cheia de Benfiquistas! Nada de anormal, para um dia de jogo na Luz!

Todavia, eu já vinha do Vasco da Gama, e queria ir para o Colombo e, na linha vermelha, já tinha apanhado os estrangeiros todos e, agora, ia apanhar com o "Benfas"! Nada contra os homens viris, barriguidos, e a cheirar a suor ao fim de um dia maaaasss... Há formas, e formas, de seduzir!

A plataforma, estava cheia de pessoal encarnado! Eu só pensava: "Tenho pessoas à espera no Colombo, e o metro vem de Santa Apolónia... Ok, vou ter de empurrar gente!". Até que, a magia aconteceu! O Trump parou de tweetar? As obras, da estação de Arroios, acabaram? Melhor!!

Qual Dumbledore, Harry Potter ou António Costa! Apareceu um metro, de 6 carruagem, em contramão, e parou ali, bem à nossa frente! Parou, e abriu as portas! Sim! Sim! Um reforço de carruagens, no sentido "Reboleira"! YUPIIIIII! Óbvio, que ficou cheio num instante, e nem todos entraram (vejam bem a quantidade de pessoas que eram)! Eu só pensava: sabe tão bem pagar passe de metro! Isto, nos autocarros, nunca daria (devido ao transito... e às velhas que não se sentam!).

ADORO andar de metro! Mesmo que morresse, saberia que ia num saco da Prada! Andar de metro é in, andar de metro é ecológico e, andar de metro é sexy! Já viram a minha sorte? Pude roçar-me, a uma data de homens, a arrotar à cerveja! Não é o máximo?! =D Ainda por cima, do meu Benfas!! *.*

Agora, algo muitíssimo mais importante. Domingo, comemorar-se-á, o centenário do fim da 1ª Grande Guerra. Para mim, a 1ª Guerra Mundial, historicamente, fez muito mais sentido que a segunda e, como em todas as Guerras, houve muitos milhões de mortos... e famílias destruídas.

Infelizmente, há quem pense que votar em fascistas, melhora a vida dos cidadãos, o que é falso.
No ano passado, comemorou-se o Centenário da Revolução Russa e, há dois anos, estive presente num troféu da 1ª Guerra Mundial. Nunca devemos esquecer: o Amor, é o que une as pessoas!

O Imperial War Museu, editou o Registo gráfico do fim da 1ª GM (11/11/1918). Oiçam:
> 1 minuto antes da hora marcada, para o fim da Guerra (todas as armas a disparar);
> 1 minuto após a hora marcada, para o fim da Guerra (todas as armas em silêncio).

Morreram, 20 milhões de pessoas. Façam AMOR, não guerra. #SejamLivres




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Jock + Wolf Line Modus Vivendi

Olá!

O Natal anda aí, e eu, aqui, já ando ansioso por esta época! Deram conta, que as Amoreiras, já ligaram as suas luzes de Natal? Épá, acreditem ou não, mas enquanto escrevo este texto, estou a ouvir aquelas músicas, que passam todos os anos, nesta altura! Já fizeram a vossa árvore de Natal?
Saibam mais sobre estas calças, e esta T-shirt
Hoje, resolvi fazer, algo diferente! Apresentar-vos-ei, duas linhas da Modus Vivendi. Porquê? Estamos no Natal, e quero mostrar-vos a maior diversidade possível, dos mais recentes lançamentos, destes nosso amigos gregos! Mas, para não baralhar, apresento-vos uma linha de cada vez! Ahahah! =)
Saibam mais sobre estas cuecas
Assim, começo por apresentar-vos... os lindos modelos! O loiro, é o Efim Vasukhin e, o moreno, é o Daniel Savoskin (ao clicarem nos nomes deles, serão reencaminhados para os seus Instagram's). Esta linha, e à semelhança da linha apresentada no mês passado, foi realizada em Moscovo! xD
saibam mais sobre estas cuecas
linha Jock, é composta por cuecas (em vários modelos), boxers, camisolas à cava, T-shirts, calções, calças, e camisolas com capuz. Esta linha, feita com veludo perfurado e macio, tem a cor cinza/caqui, ou preto/azul. Esta linha ultra masculina, funde o bom gosto de estarmos confortáveis, com o luxo.



Após falar da "jóia da coroa", desta colecção Outono-Inverno, importa falar um pouco de moda. Este ano, há uma tendência mundial que, se estiverem atentos, todas as marcas seguem: a Animal Print! Também é de referir, que as linhas aqui apresentadas, são super quentinhas, e ideais para o Inverno!
Saibam mais sobre esta manga à cava, e estas meggings
Sem demoras, vamos para a apresentação do modelo desta linha. Chama-se Manos Xatzoudis, e este, é o seu Instagram! As fotos, desta vez, foram feitas em Tessalónica, na Grécia! Tal como na linha anteriormente apresentada, esta pauta-se pela relação ancestral que o Homem tem com os animais!
Saibam mais sobre estes boxers
linha Wolf, é composta por cuecas (em vários modelos), boxers, e Meggings (curtos e compridos). Esta linha (em algodão) sexy e funcional, está disponível em preto, cinza, e azul. Pode ser complementada, com algumas peças da linha referida primeiramente (pois usam veludo perfurado)!
Saibam mais sobre estas cuecas
Como prometido em Setembro, onde mostrei-vos como são os pacotes que chegam ao destino que escolhemos, quando fazemos a nossa encomenda, é a vez de revelar a segunda peça que...
Jockstrap azul, tamanho M, linha Transparent Jockstrap - frente
... a Modus Vivendi ofereceu-me! É da colecção Transparent! Também há em preto e vermelho!
Jockstrap azul, tamanho M, linha Transparent Jockstrap - verso
Estaremos prontos para uma boa (e valente), montada? #quemnunca =P




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

#BolsonaroFascista #ELENÃO

Olá! #agoravirou #Haddad13 #viravoto

Eu voto Haddad! Por um Brasil livre, por um Brasil democrático, por um Brasil dos brasileiros! Haddad, é a única solução, para um militar fascista, que anuncia em alto e bom som, crimes contra todos nós. Todos somos brasileiros, e todos somos de qualquer país, quando está em causa a Declaração Universal dos Direitos Humanos! Eu sou pelo livre-arbítrio de qualquer pessoa do Mundo! #liberdade
Hoje, alunos e docentes, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Bolsonaro é fascista! Bolsonaro é homofóbico! Bolsonaro é racista! Bolsonaro é, como diz Marcelo D2, doente! Como é que num país evoluído, como o Brasil, é possível os polícias entrarem pelas universidades dentro, para retirar cartazes, que apelam ao voto antifascista, e ao voto concordante com os Direitos Humanos? Aqui, discute-se, coisas tão simples como o facto se o Brasil deve (ou não), manter-se um Estado de Direito Democrático! E a resposta é sim! Claro que sim! Brasil, quer-se, para continuar a evoluir, ser um país Democrático e de Direito! Brasil, não é dos militares fascistas!

E escusam os neo-fascistas, brancos, e da Europa, afirmar que Bolsonaro é cheio de qualidades e, quem não é pró-Bolsonaro, é PT! Que se FODAM mentes pequenas e retrogradas, que só pensam numa economia elitista, onde os pobres têm o Karma de servir os Senhores da Metrópole! NÃO! A Economia, é mais do que uma ambição tacanha de um colonialismo inexistente, a Economia põe dinheiro no bolso das pessoas para comprar mais arroz e feijão, dá dinheiro para pôr o filho da escola (escusando ele ir trabalhar) e, assim, dá para escolher, quando a criança crescer, se deve comprar uma arma, ou um livro. A Economia brasileira, quer-se cheia de livros, não de militares com armas!
Domingo, vota 13, vota Haddad!
Não posso, aliás, RECUSO-ME a aceitar que um ser humano, seja contra os Direitos Indígenas! Seja contra os Direitos das Mulheres! É mau de mais para ser verdade! Bolsonaro, não é solução para nenhum país do mundo! Já que o Mundo virou facções, quem é contra o FASCISTA, não quer dizer que seja PT! Quem é contra Bolsonaro é, simplesmente, a favor da Democracia! Simples assim! Domingo, vota em consciência, por um Brasil livre e sem militares no poder! Brasil, só com amor!

"Para quê separar? 
Para quê desunir? 
Porquê só gritar? 
Porquê nunca ouvir?

Para quê enganar?
Para quê oprimir?
Porquê humilhar?
E tanto mentir?"




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

terça-feira, 9 de outubro de 2018

3º dia MOTELX '18

Olá Olá!

Hoje falarei sobre os 4 filmes que vi dia 6 de Setembro, no 3º dia da 12.ª edição do MOTELX.
Depois de uma Sessão de Abertura, e de um 2º dia de Festival intenso... um 3º dia com 4 filmes! lol
Hagazussa, foi eleito o melhor filme, entre oito longas em competição
Antes de mais, vejam o vídeo em relação ao dia 6 de Setembro - 3º dia de MOTELX 2018!


Às 14h10, na sala Manoel de Oliveira, vi o filme Cutterhead (Dinamarca, 2018). 

Sinopse: Rie é uma coordenadora de relações públicas que visita a tuneladora que opera na construção do metro de Copenhaga, com vista a promover a imagem da co-operação europeia. Quando se dá um acidente, vê-se forçada a refugia-se num compartimento pressurizado, com os trabalhadores Ivo, da Croácia, e Bharan, da Eritreia. Os três vão depender uns dos outros para sobreviver ao calor, pressão e lama, tendo de confrontar diferentes visões do mundo e reavaliarem as suas vidas. 
E este foi o bilhete que deu acesso ao filme Cutterhead
A curta, Two Puddles (Reino Unido, 2018), antecedeu ao filme. Esta curta de 6 minutos, é sobre duas poças... não há nada a dizer, a não ser que se trata de uma curta confusa e que... prontos é isso.

Xenofobia e Racismo: e quando temos que escolher entre quem vive, tendo diferentes países de origem? É uma boa reflexão sobre o puritanismo em que vive o mundo, no que diz respeito aos não-europeus. Este é um daqueles filmes tipo Under the Shadow ou K-Shop, onde há uma clara e explicita crítica aos tempos modernos (ou melhor, pós-modernos). Faz-me lembrar aquele anúncio proibido da União Europeia, onde punha-se o dedo na ferida... Em relação ao filme propriamente dito: a ideia não é própria nova, mas o final (tal como o meio) é verdadeiramente tocante... É um bom filme! Vejam! =)




Às 16h15, na sala Manoel de Oliveira, vi o filme Don’t Leave Home (EUA, 2018).

Sinopse: Após ter dado a conhecer a sua nova exposição de escultura em torno de lendas urbanas irlandesas, a artista Melanie Thomas é contactada pelo padre Alistair Burke, um solitário clérigo irlandês que, segundo reza a lenda, pintou o retrato de uma menina que mais tarde desapareceu no mesmo dia em que a sua imagem se apagou misteriosamente do quadro. Agora, convocada por Burke e a sua assistente para uma encomenda artística especial a ser desenvolvida na paisagem rural da Irlanda, Melanie aceita a oferta, sem nunca pensar que algumas lendas urbanas possam ser reais.
E este foi o bilhete que deu acesso ao filme Don't Leave Home
A curta, Coyote (Suiça, 2018), antecedeu ao filme. Esta curta de 10 minutos, apesar de terror, é muito gira... o facto de ser em desenhos-animados, confere-lhe uma áurea perfeita! Vejam, vão gostar!

Um filme que prometia muito, mas que não deu nada. Boas interpretações, boa fotografia, bom som... a estória vai avançando e estamos sempre à espera de algo que, acaba, por não acontecer. Acabo por recomendar o filme, não pelo argumento, mas pela componente técnica ali presente. Gostei muito da prestação da Helena Bereen (personagem Shelly). Permite-nos ainda a uma reflexão pessoal, vale tudo n'A Arte? Por uma instalação artística, e por dinheiro, é permitido fazer tudo? Quais os limites?




Às 18h25, na sala Manoel de Oliveira, vi o filme Hagazussa: A Heathen’s Curse (Alemanha/Áustria, 2017).

Sinopse: O Inverno frio estende-se pelos Alpes do século XV. Uma jovem pastora vive com a sua mãe numa cabana no meio dos bosques. Quando, certo dia, a mãe adoece misteriosamente e morre, Albrun fica sozinha e profundamente traumatizada. 20 anos passam e, já depois de se tornar ela própria mãe, Albrun começa a pressentir uma presença negra na floresta. Numa espécie de delírio psicótico, as fronteiras entre a realidade e o pesadelo começam a fundir-se, à medida que ela é novamente confrontada com a morte da sua mãe e o mal que existe dentro de si mesma.
E este foi o bilhete que deu acesso ao filme Hagazussa
A curta, Calipso (Portugal, 2018), antecedeu ao filme. Esta curta de 15 minutos, revela o casal Bruno (Pedro Laginha) e Sandra (Adriana Moniz), no meio de uma calamidade... dentro de portas! É uma boa estória, onde as interpretações destes dois actores, é a chave para o sucesso deste projeto!

Este filme é muito, mas mesmo muito bom! É louco, mas é bom! Não era a minha aposta para vencer o Prémio MOTELX de Melhor Longa mas, fico tranquilo por estarmos bem representados na Competição Europeia. Agora, falando sobre o dito cujo: é um argumento duro, inteligente, capaz, bem construído... é a prova que, quando se tem vontade, faz-se algo incrível. Fotografia excelente! Interpretações que desempenharem eficazmente a função. Houve várias cenas magnânimes, estaria a ser injusto, realçar apenas algumas. Estou certo que esta longa ficará nos anais do Cinema de Terror!




Às 21h20, na sala Manoel de Oliveira, vi o filme Ghostland (França/Canadá, 2018).

Sinopse: Depois da morte da sua tia, Colleen e as filhas herdam a sua casa. Durante a primeira noite passada no novo lar, intrusos entram pela casa adentro, obrigando Colleen a lutar pela vida das suas filhas. Depois dessa noite, tudo muda. A filha mais velha, Beth, torna-se uma consagrada autora de literatura de terror, já a sua irmã, Vera, vai perdendo a sanidade e vive em constante paranóia. Dezasseis anos depois, mãe e filhas reúnem-se na casa onde Colleen e Vera continuam a viver. É nesse momento que começam a acontecer incidentes estranhos.
E este foi o bilhete que deu acesso ao filme Ghostland
A curta, Moscatro (Portugal, 2018), antecedeu ao filme. Esta curta de 12 minutos, conta com Soraia Chaves no principal papel e, esse facto, é o que eleva esta curta a um produto para o grande-público.

Fui ver este filme com tantooooo medo! Medo de quê? De apanhar uma banhada! Quando um filme, com este nível de produção, apresenta-se com a mega estrela francesa, Mylène Farmer, é de suspeitar ser uma tremenda merda. Estava tão enganado! É um filme com uma mega produção, à semelhança de Cold Skin, mas com um resultado muitíssimo mais eficaz! Mylène Farmer, tem um desempenho eficaz na trama, e aparece apenas onde é mesmo necessária. Em relação às suas filhas (as actrizes Crystal Reed e Anastasia Phillips), são o grande motor da estória, com interpretações muito boas! Graças a estas últimas, conseguimos embarcar nos seus pensamentos e desejos. O final do filme é agridoce, mas consegui gostar. Como agiríamos, caso fossemos sequestrados? Reflitamos!




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

2º dia MOTELX '18

Olaré!

Hoje falarei sobre os 4 filmes que vi dia 5 de Setembro, no 2º dia da 12.ª edição do MOTELX.
Depois de uma Sessão de Abertura incrível, nada melhor que começar a tarde com um filme de terror!
Porque esta cabra (The Nun) deu-me insónias...!!!
Antes de mais, vejam o vídeo em relação ao dia 5 de Setembro - 2º dia de MOTELX 2018!


Às 14h15, na sala Manoel de Oliveira, vi o filme We (Holanda, 2018).

Sinopse: Durante um Verão lânguido numa aldeia perto da fronteira entre a Holanda e Bélgica, oito adolescentes procuram excitação e sexo. Tudo começa com umas partidas relativamente inocentes, mas rapidamente apercebem-se que não é suficiente. Os seus jogos sexuais transformam-se gradualmente em pornografia, prostituição e chantagem, e os adolescentes entram numa espiral negra até ao momento em que algo grave acontece.
E este foi o bilhete que deu acesso ao filme We
Não irei falar muito sobre este filme, porque quero mesmo que o vejam. Não é um típico "Morangos com Açúcar", pois tem qualidade de fotografia, argumento e... interpretações. E quando um grupo de jovens se junta e são simplesmente... jovens? E quando algo acontece? A sério, vejam, vão gostar!




Às 17h05, na sala 3, vi o filme Fake Blood (Canadá, 2017).

Sinopse: Há anos que o realizador Rob Grant produz filmes de terror com o seu melhor amigo, o actor Mike Kovac. O par tornou-se conhecido no circuito dos festivais devido a filmes como "Yesterday" ou "Mon Ami". Um dia, Grant recebe um vídeo perturbador de um fã inspirado por uma cena de um filme seu. Este episódio fá-lo questionar-se acerca da responsabilidade dos cineastas em retratarem a violência no cinema. Juntamente com Kovac, decidem fazer um documentário explorando o tema. Para isso, são introduzidos involuntariamente no mundo real de criminosos e das suas vítimas.
E este foi o bilhete que deu acesso ao filme Fake Blood
Pronto, aqui entrei em curto-circuito. Fui ver este filme como um Documentário... e, no fim, pensei que talvez tivesse sido enganado. Bom, a premissa é muito interessante: são os realizadores dos filmes de terror, "responsabilizáveis", por actos de violência? Na minha perspectiva, qualquer forma de Arte, é catalisadora de acções e, consequentemente, os filmes de terror podem servir de inspiração a alguém que já tenha esse tipo de... motivação. O filme dá-nos a conhecer algo que é comum entre quem assina conteúdos públicos: o contactado por um fã, que presta-se a auxiliar o eu lírico presente na Arte em questão. Neste caso, um espectador dos filmes de terror, faz um vídeo a indicar qual o melhor material existente no mercado, para desmembrar uma pessoa. Ora, o filme vai acontecendo e eu começo a ficar na dúvida se toda aquela trama aconteceu efectivamente, ou se é apenas um filme que, serve de alerta, para estes casos e põe-se a velha questão dos "limites da Cinematografia"...




Às 19h00, na sala 3, vi o filme Four Hands (Alemanha, 2017).

Sinopse: Após Sophie e Jessica terem testemunhado o brutal assassinato dos país quando eram crianças, Jessica prometeu proteger para sempre a sua irmã mais nova. Com o passar dos anos, esta promessa tornou-se uma obsessão. Agora, Jessica sofre de paranóia e vê por toda a parte ameaças contra si e a sua irmã. Mas Sophie quer viver uma vida normal sem medo e sem a sua irmã. Quer tornar-se pianista e namorar. Quando os autores do homicídio são libertados após uma pena de 20 anos, Jessica fica chocada e quer confrontá-los. Mas um acidente vai mudar tudo. A promessa de Jessica irá tornar-se num pesadelo existencial.
E este foi o bilhete que deu acesso ao filme Four Hands
A curta, Hair Wolf (EUA, 2016), que iria anteceder ao filme, não foi exibida por falta de tempo.

Excelente filme! Óptima fotografia! É, evidentemente, uma grande produção mas consegue manter-se intimista. As personagens principais são bastante desenvolvidas, o que proporciona-nos emoções aquando do final da estória. Aborda um tema importante, a doença mental, mais concretamente a esquizofrenia. Recomendo-vos este filme, mais que não seja, pelas boas interpretações! =)




Às 21h15, na sala Manoel de Oliveira, vi o filme Cold Skin (Espanha, 2017).

Sinopse: Nos limites do círculo Antártico, pouco depois do término da 1.ª Guerra Mundial, um barco a vapor aproxima-se de uma ilha desolada longe das rotas marítimas. A bordo encontra-se um jovem, prestes a assumir o cargo de observador meteorológico e a viver em solidão no fim da terra. Mas em terra não encontra vestígios do homem que vinha substituir, apenas um náufrago que testemunhou um horror do qual se recusa falar. Durante os próximos 12 meses, o seu mundo consistirá de uma cabana, árvores, rochas, silêncio e mar em redor. Até que a noite começa a cair...
E este foi o bilhete que deu acesso ao filme Cold Skin
A curta, Coração Revelador (Portugal, 2018), antecedeu ao filme. Esta curta de 10 minutos, está muitíssimo bem feita! Não posso mentir-vos: era a minha grande aposta para vencer o Prémio de Melhor Curta de Terror Portuguesa e, consequentemente, 5000€... Adoro este texto, há vários anos e, tive a oportunidade de entrevistar a grande realizadora desta Curta - São José Correia. Irei abster-me de contar o que quer que seja, pois acho tudo óptimo mas, ao pedirem-se para destacar uma única coisa, ela é a caracterização dos actores... simplesmente, incrível! Vejam (e leiam) Edgar Allan Poe.

Este filme é a prova como uma estória clássica, associada a um grande orçamento mais a questão in do momento (Ambiente), resulta de 100 minutos bem passados... um filme típico para "pipocar". Há que começar por os factos que salvam o filme: as interpretações de Ray Stevenson e de David Oakes e ainda, a cena debaixo de água. O pior é mesmo aquilo que é mais difícil de fazer, quando se tem as mãos grandes e tenta-se ir buscar algo atrás do armário... simplesmente, não resulta. A caracterização dos seres aquáticos, é simplesmente medonha.... mas pronto, é um filme de terror e tal... Vendo isto tudo num outro prisma, podemos reflectir sobre as questões psíquicas que os faroleiros (e marinheiros), podem estar sujeitos... o final acabou por ser positivo, mantendo (corrigindo) a trama.




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Marine Line Modus Vivendi

Boas!

Embora não pareça, já estamos no Outono e, como tal, a Modus Vivendi, apresenta-nos a sua linha pré-Inverno, com inspirações claras à vida marítima! Já sei, já sei, calma... o modelo desta campanha é o Alexandr Sadykh (eis o seu Instagram) e, as fotos, foram tiradas em Moscovo, na Rússia! =)
Saibam mais sobre estas cuecas
linha Marine, é composta por cuecas (em vários modelos), boxers, camisolas à cava e T-shirts. A palete de cores utilizada, tem inspiração naval, com a aplicabilidade do branco, azul, e vermelho. Tal como foi tendência este Verão, a Modus Vivendi, traz para esta colecção, as clássicas riscas Breton que, se formos bem originais, irão transformar-nos de marinheiros a piratas! Vai uma luta de espadas?
Saibam mais sobre estes boxers
A Modus Vivendi não pára de inovar! Desta vez, as cuecas, apresentam o novo logótipo: "MV"! =D
Visto que o tecido é em viscose e elastano, é confortável e perfeito para quem pratica desporto e, assim, ganhar um verdadeiro estilo náutico! Esta tendência não tem idade, e já agora pergunto: já reuniram a vossa tripulação? Com este tempinho, ainda dá para uns mergulhos e aproveitar o calor!
Saibam mais sobre estas cuecas
Como prometido no mês passado, onde mostrei-vos como são os pacotes que chegam ao destino que escolhemos, quando fazemos a nossa encomenda, é a vez de revelar a primeira peça que...
Cuecas azuis, tamanho M, linha Mesure - frente
... a Modus Vivendi ofereceu-me! É da colecção Mesure! O tamanho será que conta?... =P
Cuecas azuis, tamanho M, linha Mesure - verso
E pronto, 'tou a ter umas ideias assim do género do outro (Mário de Cesariny)... ^^




Beijinhos e portem-se mal!! ;)