Até 4 de Agosto, participa por e-mail, no passatempo da Modus Vivendi, onde poderás GANHAR 120€ em produtos à tua escolha! Aceitas o desafio? =P

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Desert Line Modus Vivendi

Olá Olá!

Estou a derreter e, aposto, que vocês também! Lisboa está, estes dias, com mais de 40º graus e, o resto do país, está em situação semelhante! Meninos: bebam MUITA água!! E atenção aos incêndios!
Toda a Europa está a atingir temperaturas altíssimas - tenham cuidado! Usem, também, roupa fresca!
Saibam mais sobre estas cuecas de banho e, aqueles boxers de banho
A Modus Vivendi, tem a roupa ideal para estes dias quentes de muita praia e piscina! Não acreditam? Lembram-se, já há uns tempos, da linha Camouflage (ideal para Mário de Cesariny)? E a sua versão de Inverno? Pois bem, chegou a altura de conhecerem a sua versão para o Verão e, assim, podem combinar com as linhas anteriores da gama já muitíssimo popular... Camouflage! Agora acreditam! =P
Saibam mais sobre aqueles calções de banho e, estes boxers de banho
Linha Desert é composta por cuecas (de vários modelos), boxers e calções (também ambos com vários modelos e tamanhos). Aqui, poderão encontrar peças em tons de cinza e areia (dão com tudo)! Como já é hábito, nas linhas de Verão, a Modus Vivendi prefere pôr o seu logo num local discreto e sem notar-se as costuras - discrição, sempre (e detalhes também)! As fotos foram tiradas em Moscovo, na Rússia e, os modelos... vocês querem lá saber dos nomes deles, querem é os Instas!! xD
Saibam mais sobre as cuecas de banho de lá e, as cuecas de banho de cá
Para quem faz desporto de forma amadora ou profissional, pode adquirir produtos da PROZIS
com 10% de desconto em todo o site através do código AG10!!! Vá, poupem dinheiro!

Ora bem, seguindo a foto: o tipo encostado à pedra e, o tipo que não consegue fechar os braços! =D




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

P.S. - Já participaram no passatempo?? Termina amanhã!!! Vá, ainda têm tempo!!! =D

terça-feira, 31 de julho de 2018

Sou Pornólago

Boas!

É a altura perfeita para assumir o quanto sofro enquanto pornólago. Isto é, não conseguir estar muito tempo sem dizer um palavrão, caralho. Sinto que ninguém me compreende. Sou um gay pornólago!
Adoro dizer asneiras. Quem me tira uma "caralho", tira-me tudo! Quem diz um "caralho", diz um "fodase", "merda", "puta" e por aí fora. Adoooro uma longa e sonora asneira. Pronunciar cada letra, cada sílaba... sabe pela vida! Ainda para mais, o fruto proibido é sempre o mais apetecido e, como é "incorrecto" dizer-se, a coisa sabe ainda melhor! As asneiras elitistas não me sabem tão bem, têm mesmo de ser daquelas bem portuguesas, bem do interior do nosso ser, aquelas que partem tudo!

Mas isto é uma questão cultural. Na zona Norte, diz-se muitas asneiras, e não é socialmente incorrecto. Aqui, em Lisboa, é péssimo. No entanto, dizer asneiras em inglês, já não é mau.... bardamerda, qual é a diferença?! O conhecimento de uma língua estrangeira? Vão para a puta quem assim acha, pois uma verdadeira asneira é quando é dita na sua língua materna, não quando importamos asneiras... Para quê importar, quando temos palavrões tão bonitos e prolongados?! xD

No blog, desde há muito que tenho vontade em dizer asneiras todavia, por alguma vergonha, não comecei logo. As asneiras que aqui escrevo, são libertadores e, realçam, o meu estado de espírito. Aliás, as asneiras são para isso mesmo: um marcar de posição, face a alguma situação. E, eu, aproveito isso. Uma asneira escrita, tem tanto o mais força quando esta é dita. Porquê? Bom, escrita lê-se várias vezes e, oralmente, é como fosse uma vírgula, um realçar, uma chamada de atenção. Escrita não, uma asneira escrita tem o impacto verdadeiro da palavra, como é apanágio da escrita.

Quem está a conhecer-me e, vou baixando "as guardas", um dos primeiros sinais disso, é começar a dizer asneiras, muitas asneiras... e também, conhecer o meu humor (muito!) negro! Adoro gozar (quase humilhar) tanto quanto asneirar para o ar! Há melhor, quando estamos sozinhos a falar para as paredes (eu falo muito sozinho!), enquanto estamos a imaginar diálogos que por ventura nunca irão acontecer, reagirmos com asneiras?! É incrível!! Torna aquela conversa muito mais real e desafiadora! É como imaginarmos a cara da pessoa a quem queremos chamar nomes, e em casa, gritarmos todos os nomes enquanto imaginamos a cara dessa pessoa (assim, quando voltamos ao contacto com ela, já não temos vontade de a mandar à merda, pois já o fizemos!!)!! Há melhor?! =D

Irei, claramente, continuar com a minha linguagem! Deixar de dizer asneiras, é como arrancar um abraço. Não posso deixar de ser quem sou, apenas pelo facto de viver em Lisboa, e isto aqui ser uma cambada de gente moralista e cheia de 9 horas. Não! Recuso-me! Vou continuar a usar o meu vocabulário elaborado, quer aqui, quer em contexto real. O difícil, às vezes, é controlar-me: é apetecer dizer uma bela caralhada, e não puder. Isso sim, é o que fode um homem! Isto são vidas... Ahahah!

Vou inscrever-me no MARSAPO! E eu vou ao Congresso... vamos juntos?! =P Abralho!




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 13 de julho de 2018

O Exame desnecessário

Olá Olá!

Em todas as faculdades há tachos. Professores que são contratados, por pertencerem a partido A ou B, ou ainda serem amigos de Fulano, Sicrano e Beltrano. Isto é um facto. Mas apenas gostaria que a incompetência não fosse evidente e, acima de tudo, não prejudicasse o mais importante: os alunos.
Não irei já contar como correu este semestre todavia, posso assegurar, que não fiquei nos mesmos grupos de trabalho com raparigas do semestre passado - o que já é um grande alívio!!! Hoje, contar-vos-ei, algo digno de uma verdadeira sexta-feira 13, um azar dos diabos que, poderia ter escolhido qualquer pessoa mas não, foi a mim! Algo tão estúpido que, facilmente resolver-se-ia, todavia... =/

Começando então pelo início. Este semestre tive uma cadeira engraçada. Trabalhosa, mas engraçada. Resolvi então, aplicar-me particularmente a esta matéria, não por ser essencial para o que aprendo na licenciatura contudo, era óptima para cultura geral e, como exigia tanto de parte prática, cativou-me ainda mais! Alguns colegas desistiram de aparecer, indo apenas a Exame; eu, que detesto Exames, e como gostava da matéria que ali ia ser dada, resolvi fazer todos os trabalhos e mais alguns!

O semestre corria bem: ia às aulas todas, participava nas aulas, a professora reconhecia-me fora da sala de aulas... enfim, tudo corria bem. E eu gostava dela. Achava-a taralhouca, surreal, estranha até todavia, achava que isso trazia-lhe personalidade e piada visto que, era até uma mais-valia para o que estava ali a ser leccionado. Gostava dela. É uma cunha partidária, um currículo estranhíssimo, parecia não ser expert na cadeira em questão maaaaass... tinha piada, e cativava os alunos nas suas aulas!

Mas tudo começou a descambar. A senhora, resolveu deixar de ir às aulas 2 semanas, pois ia a Paris com as suas filhas (iam à Disneyland). Sinceramente, não me fazia mal nenhum desde que, a matéria fosse organizada, de forma a não ficarmos prejudicados. Tal não aconteceu. Cerca de um mês antes de ir para Paris, a puta, começou a dar a matéria a despachar - centenas de slides por aula, onde ela saltava dezenas deles à vez, mas dizia que tudo era importante, blá blá blá... Começamos a não achar piada a nada daquilo. Já não nos ríamos das piadas dela, já estávamos de trombas, e já estávamos a ver que tinha sido um erro apostar naquela cadeira porém, não desistiríamos. Na última aula antes da viagem, diz que devemos fazer uma análise crítica de um artigo científico - este trabalho era obrigatório porém, sem carácter avaliativo (apenas servia para treinarmos para o teste, ela corrigiria e assim saberíamos como fazer na hora H). Torcemos o nariz e, fizemos uma cagadinha de trabalho.

Voltou das suas férias, que foram durante as semanas de aulas e, já com nova ideia: visto que os trabalhos estavam - palavras dela - "'tão bons!", que todos eles passariam a ser avaliados. Ora, confusão total. Ninguém queria que os trabalhos fossem avaliados, pois não foi o que ela tinha dito (e nós, sabendo que não tínhamos avaliação naquilo, não nos aplicámos muito). Mas ela já tinha decido. Tal como já trazia consigo, as novas percentagens dos elementos de avaliação. Naturalmente, surgiu mais berraria na aula. Mas ela já tinha decido. Teria decido bem, as novas ponderações? Não. Antes dela ir de férias, deu toda a parte teórica da cadeira. Quando voltou, os vários grupos teriam de apresentar os trabalhos de grupo que tinham feito (aplicando a teoria à prática). Ora, um trabalho de grupo, complexo, passou a valer tanto como uma crítica individual. Agora vocês dizem "ahhh, foi para ajudar-vos..." não, não foi. Ela atribuiu notas medianas às críticas e, notas boas aos trabalhos.

Ela detestou o nosso trabalho. Desde o início. Mal apresentamos a nossa ideia, disse que não fazia o género dela e, tinha dúvidas, como conseguiríamos fazer o trabalho... todavia, todo o grupo aceitou a responsabilidade em avançar com o trabalho. Apresentámo-lo e foi uma desgraça. Interrompeu várias vezes a nossa apresentação, fazendo perguntas que punham em causa as nossas fontes, e a forma como abordamos o assunto. Fomos a única vítima dela, o único trabalho de grupo que ela disse, em voz alta, que não tinha gostado do tema. Apontou-nos uma série de coisas a corrigir. No fundo, ela queria que afirmássemos o contrário do que tínhamos dito na oralidade. Em grupo, decidimos, alterar todo o trabalho, de forma a agradar à professora sabendo porém, que estava tecnicamente / cientificamente errado. Ou era isso, ou chumbaríamos. Nós sabíamos a verdade, e era isso que importava. Fizemos como ela queria, e tivemos 16 valores. Dedicámos tanto tempo àquele trabalho, tantas horas, tanta investigação, tanto cuidado com a bibliografia e autores... para quê?! Para o lixo.

Umas aulas antes do fim, começa a enumerar alguns alunos que não entregaram a tal crítica. Eu era um deles. O que era falso. Disse-lhe que tinha enviado e, informei, que ia voltar a enviar. Estava tudo certo. Tivemos o teste, e tudo acabou em bem (faltava apenas saber a nota). Ela então publica o Excel com as notas, e eu não consto na lista. Percebi, junto dos meus colegas, que o Excel tinha uma série de gralhas, inclusive, irregularidades do regulamento interno. Portanto, caguei e esperei pela correcção. Com o novo Excel, mantinha-se a inexistência do meu nome. Enviei e-mail de imediato à professora, alertando do esquecimento. Responde, dizendo que chumbei, visto que faltava a entrega de um dos elementos de avaliação, que era a tal crítica. Respondi, afirmando com a nota que tive no trabalho de grupo, assiduidade, participação, entrega da crítica (que voltava a anexar) e a realização do teste. Acabava o e-mail, perguntando a nota do teste... nunca obtive resposta a este e-mail. O tempo passava, e eu já sem saber o que fazer à minha vida. Ela estava a foder-me à grande!!!

Contei o que se passava ao Delegado de Turma e, este, aconselhou-me marcar reunião com o responsável do curso visto que, este meu colega, já tinha ido a uma reunião com o dito cujo, fazendo queixa da professora em questão e eu, assim, seria mais uma voz a protestar. Assim fiz, assim reuni-me. Falo com o homem e, este, surpreendentemente revela-se... um CONAS! Compactua com o sistema, cria burocracias e, ao mesmo tempo que protege o corpo docente, desconfia dos alunos. Fiquei super desiludido. Percebi então, que nem uma reclamação por escrito valeria apenas pois esta, ia parar ao lixo e nunca chegaria a ver a luz do dia. E as futuras consequências?! Fui a Exame...

Entrei na sala, cumprimentei alguns colegas, e pus-me em "modo de Exame". A professora, muito atrapalhada (como sempre), espalha tudo em cima da secretária dela, olha para os alunos e... olha para mim, perguntando-me: "Então? Você aqui??". Eu, "Supostamente, chumbei à sua cadeira...", isto com cara de poucos amigos. Ela fica a olhar com um ar pensativo, a coçar o queixo, e de repente, solta um "Ahhhhh!". Vem ter comigo, como quem viesse cuscar. Chega-se ao pé de mim, com uma cara muito fofinha, e diz "Sabe, o seu teste estava muito fraquinho... e, a sua resposta de desenvolvimento, estava igual à da XPTO", e eu respondo, "Claro! Eu e a XPTO, fizemos o mesmo trabalho de grupo. A professora dá-nos a pergunta de desenvolvimento, que vale 2 valores, antes do teste, para prepararmos uma boa resposta. O resto do teste, é tudo escolhas múltiplas com consulta. É normal que a minha resposta seja igual à da minha colega, escrevemos a parte da matéria que mais sabemos, e que incidiu no nosso trabalho de grupo!". E ela "Pois! Mas já viu a minha posição?! É que as respostas estavam iguaizinhas!!!! Mas olhe, não se preocupe, eu agora vou ajuda-lo. Está bem?" acaba a pergunta, a sorrir. Puta de merda, porque pensava ela que eu teria copiado pela XPTO, e não a XPTO copiado por mim?! Se queria anular o meu teste, teria que anular também o outro. Mas ela chegou a anular o teste? Nem faço ideia!!!! Puta puta puta puta puta puta puta puta puta puta puta!!!!

O Exame foi entregue e, surpresa das surpresas, este ano o modelo era completamente diferente. Nós, olhávamos uns para os outros, a pensar o mesmo: PUTA DE MERDA! Com uma diferença, os meus colegas escolheram ir a Exame, eu não. Mais, fui acusado de ter copiado num teste, quando era totalmente falso. Levei uma pergunta preparada para o tal teste, como levou toda a turma, visto que ela própria avisou e disse-nos para o fazer. E eu saio prejudicado? Apenas eu?? Penso que nem seja preciso dizer mas, como é óbvio, a vaca nem chegou-se perto da minha mesa para ajudar. Fiz o Exame conforme sabia e entreguei-o. Aqui, novamente a lengalenga "Aiii sabe, é uma pena! É uma pena você estar aqui...", eu respondia "Pois!". "Mas não podia ser, não podia! A resposta estava igual!!!" ela diz isto, eu sorrio ligeiramente e pergunto "Está tudo?"; ela responde "Sim sim! Está! Pode ir e, não se preocupe, agora vai passar com uma boa nota, vai ver!!". Lanço-lhe um aceso e saio.

Tretas. A vacarrona passou-me com 10. 10??? Um esforço de todo o tamanho, durante um Semestre, para 10? Alvo de uma injustiça, compactuada com a própria faculdade, e acabo com 10? Mas, lá está, vale a pena reclamar? Vale a pena bater o pé e ir "até às últimas consequências"? Não. Não vale arriscar tudo. Ainda tenho um ano do curso para fazer, e não quero ficar marcado. Foi uma terrível injustiça. A maior parte dos meus colegas sabe o que se passou e, também estão incrédulos contudo... Eles têm o queijo e a faca na mão. Não vale a pena. É triste não poder confiar no sistema. É triste.

No fundo, ela era a Umbridge e, eu, o Harry Potter. Cínica. Falsa. Hipócrita. Partidária.




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

terça-feira, 10 de julho de 2018

#monicabellucci #lisbon 1|3

Sinto-me muito bem em Lisboa. Adoro a cidade, as pessoas são muito acolhedoras, a comida é ótima, estão de parabéns por esta bela cidade, por um céu tão bonito, uma luz maravilhosa e por um país tão encantador como é Portugal. Monica Bellucci, Novembro de 2016
Capa da Elle francesa, Julho de 2018
Olá rapazes!

Estoirou a polémica em relação ao estacionamento da Madonna, e os facilitismos que a Câmara Municipal de Lisboa lhe terá dado. Então pergunto: e depois? Qual é o mal? As pessoas fazem ideia do retorno monetário, em ter uma estrela destas a viver em Lisboa, ou em Portugal? E se forem várias estrelas mundiais? Esta nova rubrica é isso mesmo. É para mostrar 3 celebridades, globalmente conhecidas, que estão a influenciar o mundo da moda, cultura e música, tendo casa e vivendo em Lisboa. Debaixo das estrelas que brilham sobre Lisboa, moram os maiores influencers do mundo! =D
Clica para ampliar
Quem é a Monica Bellucci?!

Monica Anna Maria Bellucci (Instagram Oficial), é italiana e tem 53 anos. Abandonou os estudos em Direito, para ser modelo (tendo representado as maiores marcas do mundo) contudo, rapidamente começou a fazer filmes em Hollywood e na Europa. Considerada, várias vezes, como a mulher mais bela do mundo, é divorciada duas vezes, e tem duas filhas: Deva de 13 anos, e Léonie de 8 anos (ambas filhas do actor francês Vincent Cassel), estudam em Lisboa, num colégio internacional.
Clica para ampliar
Fez já inúmeros trabalhos como actriz (podem ver mais aqui) todavia, destaco 7 filmes que adoro: Drácula de Bram Stoker (1992), Astérix e Obélix: Missão Cleópatra (2002), Matrix Reloaded e Matrix Revolutions (2003), Os Irmãos Grimm (2005), O Aprendiz de Feiticeiro (2010) e 007 Spectre (2015).
Clica para ampliar
Em 2016, Monica Bellucci, comprou um apartamento no histórico bairro do Castelo, passando assim a residir parte do tempo na capital portuguesa. Esse apartamento, é no mesmo edifício onde vive o designer francês Christian Louboutin, que vem a Lisboa (especialmente Comporta) há mais de 10 anos. Monica, juntou-se ao vasto número de celebridades internacionais que escolhem Portugal para fixar morada. A título de curiosidade: sabem em que língua é que esta diz palavrões? Em italiano! =P
Clica para ampliar
“Espírito Latino”, foi o tema da sessão fotográfica onde, por vontade da própria, decorreu em Lisboa, particularmente nas ruas e tascas do Bairro Alto, mas também na zona do Castelo. Um dos sítios escolhidos para fotografar, foi o Palácio Belmonte (que fica a escassos metros da casa da actriz), bem como a Rua da Atalaia. Para esta produção, usou peças das marcas Etro, Ralph Lauren, Bottega Veneta, Isabel Marant e Alberta Ferretti, entre outras; enquanto as jóias são da famosa marca Cartier.
O fotógrafo escolhido foi o Myro Wulff (alemão e que vive em Inglaterra), eis o seu Instagram. xD
Clica para ampliar
"As peças que escolhi encarnam, simbolicamente, a herança Clássica à qual pertenço e os meus ideais de convivência e de aprofundamento de relações com todos os seres vivos aqui representados pelo amor maternal, pela introspeção espiritual, pela partilha, diálogo, beleza natural... e não poderia ter deixado de lado os notáveis azulejos, símbolo do meu caro amor por Portugal e pela sua cultura."
Monica Bellucci (Agosto 2018), escolheu 12 peças do MNAA, e esta foi a sua explicação. Mais, aqui.

A música portuguesa, a boa música, os poemas - não têm cor. Porque isto cantou-se na Eurovisão! =)




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Quando começo?

Oi!

A semana passada, fui a uma entrevista de emprego. A segunda de Junho. Para esta, nem escondiam que era apenas e só para o Verão (1 a 2 meses). Fui na mesma. Contudo, fiquei confuso em relação a duas coisas: a diferença entre uma entrevista e uma conversa de amigos e, ter excesso de curriculum.
Mas vamos começar pelo principio, a oferta de emprego: não era incrivelmente má. Apesar de não saber o ordenado, o local tinha bons acessos em transportes públicos e, a área.... bom, é o que ando a estudar!! Já sabia que era para fazer férias mas, resolvi candidatar-me para ganhar experiência e, ganhar uns trocos! Segundo o anúncio, estavam com muita urgência em encontrar alguém. Falei com uma rapariga minha conhecida, que lá trabalha, e mandei-lhe o meu CV, para agilizar lá as coisas visto que, estavam a pedir com "muita urgência" e sim, cunhas, nunca fizeram mal a ninguém... xD

Passado uma semana de ter enviado currículo e, depois de muito ter chateado a rapariga, ligam-me para marcar entrevista. Para quando? Para a semana seguinte!! "Muita urgência" o tanas!!! Grrrr!!
Com aquela brincadeira, iam estar duas semanas de diferença - entre ter enviado o currículo e, ter acontecido a entrevista. Logo aqui pensei "o que nasce torto, tarde ou nunca se endireita". Bem dito, bem certo. Para quê a urgência toda? Se vou substituir alguém que vá de férias, e se havia urgência, é porque a pessoa ia de férias agora em Julho ou assim... Quem ligou-me, ficou em enviar-me e-mail com mais detalhes (morada da entrevista, hora ao certo, etc etc etc). Como é óbvio, nunca enviou.

No dia da entrevista, voltei a melgar a raparia. Porquê? Visto que não tinha recebido e-mail, precisava de saber da morada correcta, e mais alguns detalhes que fossem necessários (se havia algum piso específico, etc). Ela lá disse e, disponibilizou-se, para quando chegasse, dizer-lhe que viria ao meu encontro; todavia, tal não foi necessário (dei bem com o local!!)! =D

Lá fui ao sítio certo e, deparei-me, com uma enooorme confusão! A sala de espera é inexistente, aliás, até existe, é no hall de entrada, com duas cadeiras para umas... 10 pessoas?! As recepcionistas eram surreais: a mai nova, passava todo o tempo a beber (água?!) de uma agarrava e fazia uma barulho, como se tivessem a matar um porco (eu nunca vi, mas deve ser a mesma coisa), e só pensava chegar-me ao pé dela e dizer-lhe "ohhh malheri, chupar é uma arte!"... toda armada em fina, mas com uns sons de badalhoca; a outra, que estava mesmo ao lado, tinha um ar estranho, a escrever muito furiosamente ao computador e, deveria ter miopia ou coisa do género, que estava muito em cima do ecrã e, outra coisa mázinha, quando esta levantava-se para ir não-sei-onde, via-se que ela estava de chinelos ora.. os dedos dos pés, já saíam-lhe do desenho do chinelo... um horror para qualquer gay!!
Os outros trabalhadores, no entanto, pareciam ser melhorzitos. Todavia, a roupa que usavam era informal/casual e, logo aí, eu percebi que estava demasiado formal (ia de fato!) mas enfim, eu não podia ir de qualquer maneira, né?!... xD E havia gays? "Ooohhhhh filhos, a dar com pau!"!! =P

Passado meia-hora da hora da entrevista e, passado mais de meia-hora de ter chegado, aparece-me um tipo gordo a chamar por mim - até podia ser sexy, se não fosse a maneira estranha dele pronunciar as palavras... Ahhh, é verdade, esqueci-me!! Enquanto estava a fazer de "homem-estátua", no hall de entrada, a tal moça veio ter comigo desejar-me sorte! Não é uma querida? As mulheres são um ser tão simpático!! Bom, seguindo, lá o segui e fomos para um gabinete. Calma! Muuuuuiiiita calma! Eu, mais ele, um só gabinete, igual a... mulher metida ao barulho! Sim! Já estava naquele gabinete a Directora de "não-sei-o-quê-por-acaso-até-sei-mas-não-quero-dizer" que, iria fazer também a entrevista. Assim, e como imaginarão, estava em desvantagem: 2 contra 1. Bom, seria desvantagem se não tivesse feito os trabalhos de casa. Tipo o quê?! Investigar a empresa em questão!! Boa? Boa!

Mal começaram a falar, percebi que tudo lá é descontraído e, teria que ter uma conversa igualmente descontraída mas, nunca, básica - estou numa entrevista de emprego, não num café entre amigos! Pelo que parecia, nenhum deles tinha visto o meu CV, até aquele momento logo, faziam perguntas parvas mas eu, respondia sem qualquer problema, fazendo ênfase ao melhor que ajustava-se em cada momento. Tinha, à minha frente, aquela que iria ser a minha Chefona e, o outro, deveria estar a subir na horizontal com alguém. Fui-me apercebendo de duas coisas, ao longo da entrevista: faziam perguntas repetidas e, cagavam-se para factores determinantes no meu CV. Aquela situação já metia nojo: duas alminhas a entrevistar-me e não diziam nada de jeito! Agora perguntam-me "ahhh e tal, repetiam as perguntas, para ver se respondias a mesma coisa!", não! Isso seria inteligente, se fizessem perguntas estratégicas e preparadas, mas não; as perguntas repetidas eram, por exemplo, "O que faz nos seus tempos livres", "Quais os seus defeitos", etc. Mas que merda é esta? Estava num date? Numa entrevista para fazer vendas por telefone? Ou estava numa entrevista numa área técnica, numa empresa privada, que precisaria de alguém com um perfil jovem como o meu?! "Teimoso, estudioso, e ambicioso", eram alguns dos defeitos que apresentava. Quanto aos hobbies, lá respondi ao que achei conveniente. Uma cagada de entrevista, que só tinha duas hipóteses: ou virava o jogo, ou não.

Resolvi arriscar, ser mais hostil, e tomar conta da entrevista - a partir daquele momento, as respostas iam terminar onde eu queria. Perguntavam-me alhos, respondia alhos e terminava em bugalhos. Tinha de ser, ou então teria lá ido para nada! Como é possível terem o meu CV à frente, e não fazerem perguntas sobre o CV? Ou, simplesmente, perguntas interessantes? Havia uma série de coisas no currículo que eram importante eles saberem porém, não falavam no assunto e eu, lá comecei a falar. Houve uma vez, que o tipo interrompeu-me enquanto estava a falar de bugalhos; deixei que interrompesse, respondi ao que foi perguntado e disse "bom, como estava há pouco a dizer" pumba pumba pumba, disse tudo o que queria dizer antes de interromper-me, e ainda acrescentei "tal como a Sra Directora já escreveu no currículo" sim, a tipa tinha o CV à frente e, com a esferográfica, estava a assinalar coisas importantes no meu CV, mas não dizia nada e, visto que estava a minha frente, levou com essa... Fiz bem? Fiz mal? Não faço ideia, mas aquilo estava a roçar ao absurdo por parte deles!

Passado um bocado, na entrevista, sai-se com esta: "Mas bom, você tem aqui muita coisa", falava do CV. Ao que respondi: "Não trabalho, portanto dedico-me a estudar e a aculturar-me. Saber mais, não só da minha área, mas como de áreas complementares...". Ela lançou um sorriso amarelo. Percebi que aquilo estava a afundar demasiado rápido. Mas fazer o quê? Só havia duas soluções: atirar o pano ao chão, ao mostrar confiança! Qual escolhi? Não sou de desistir!!! A entrevista continuou, mas já noutro registo, a tocar ao sentimento ".... sou carneiro, não sei se acreditam nisso, mas somos persistentes..." eles riram-se e, ele disse "a minha mãe é", e ela "ohhh, tenho um lá em casa". Eles queriam a estupidez humana numa entrevista? Pois bem, comecei a falar-lhes mais fundo a ver se resultava melhor. Todavia, aquilo pareceu demasiado murcho, independentemente do tipo de estratégia que poderia optar. Das duas uma: ou já tinham alguém escolhido, ou não me queriam.

O fim da entrevista aproximava-se e, aqui, pareceu haver fumo branco!! Já estavam a falar das condições de trabalho, horário, folgas, etc... No fim, questionaram "Quer fazer alguma pergunta?", ao que respondo prontamente e naturalmente, "Quando começo?". E aí vi, nitidamente na cara deles, que não ia ficar. Disseram que iam entrevistar mais uns candidatos e, para a semana, diziam alguma coisa. Mas esperem lá: não tinham "muita urgência"? Aquele processo de recrutamento já ia em 3 semanas!! No dia seguinte de manhã, recebi um e-mail a dizer que já tinham escolhido a pessoa que ia ficar, mas que não seria eu. Estranho... recebi o e-mail por volta das 10h00 e, a entrevista comigo no dia anterior foi ao final da tarde...!! Para quê estas merdas? Se não queriam, diziam logo! Fiquei com pena? Não, nada mesmo. Achei tudo muito estranho, não só a Directora que é uma naba, mas como a própria empresa, parece muito à baldas; depois a urgência que não era urgência... Não gostei daquilo que vi, nem daquilo que senti quando lá estive. Enfim, resta aproveitar o Verão, mas com pouco dinheiro! lol

Apetece-me queimar aquela gente toda, mas com um lança-chamas. Quid juris? =D




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

terça-feira, 3 de julho de 2018

Polkadot Line Modus Vivendi

Boas rapazes!

O Julho está envergonhado porém, nós, vamos já animar este Verão! A Modus Vivendi, preparou esta estação, com o crème de la crème das suas linhas mais populares. Mas, antes de falar sobre isso, já viram este menino? Pois é, o Logan Moore (Insta) voltou, depois de ter pousado para a Animal Line!...
Saibam mais sobre estas cuecas
Modus Vivendi, pega na fruta da época e transforma algo banal, numa experiência veraniana única! Esta linha, é inspirada nos anos 50 e, trás consigo, a colecção Polkadot (cujo recebi um exemplar) agora para uma versão mais louca e... de banho! Agora, poderão passear as bolas na praia, sem qualquer problema!! Sigam o vosso lado mais retro, vintage... sem medos e, com muito orgulho! =D
Saibam mais sobre estas cuecas
Linha Polkadot é composta por cuecas (em dois modelos) e boxers. Como poderão ver, as peças têm pontos de impressão irregular no tecido, o que permite todas as peças serem únicas pois, nenhuma delas, terá as suas bolas exactamente no mesmo sítio! Poderão ter estas peças em três cores distintas: amarelo, preto e encarnado. A etiqueta está à frente, tal como os cordões ajustáveis.
Saibam mais sobre estas cuecas
Para quem faz desporto de forma amadora ou profissional, pode adquirir produtos da PROZIS
com 10% de desconto em todo o site através do código AG10!!! Vá, poupem dinheiro!

Com tanta fruta, começa-se por onde? Melancia?? Este local é em Halkidiki, na Grécia! 'bora?! =)




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

P.S. - Já participaram no passatempo?? Termina a 4 de Agosto!!! Vá, despachem-se!!! =D

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Marcelo VS Trump

Olá, boa noite!

Portugal 1, EUA 0 - este é o resultado do tête-à-tête entre o Marcelo e Trump. Não gosto do Trump, mas também não gosto do Marcelo todavia, só tenho a reconhecer, que a resposta que saiu ao nosso Presidente foi de génio e, típica de alguém que sabe o que diz, e o que quer dizer. Trump, chuuupaaa!
O Marcelo está com uma cara do tipo "Espera aí, que já vais levar com uma..."
O meu descrédito pelo Marcelo vem de há muito. Na altura das presidenciais, lembro-me, de ter votado em Sampaio da Nóvoa. Para ser franco, a diferença entre Marcelo e Trump, é que são de países diferentes; ambos ganharam as eleições, por serem conhecidos. Ganharam devido à televisão!

O Marcelo é popular, no sentido negativo do termo. Ainda há pouco tempo, uma colega minha da faculdade, estava com o marido e a filha a passear na Feira do Livro e, coincidiu, com uma das 500 visitas que ele vez. Ora, eles estavam fora da confusão mas, por mero acaso, o Marcelo resolveu ir por um caminho onde estava a minha colega e... pumba! O Marcelo disse "Ahh que bonito casal" e pede para tirar uma foto. A minha colega, lá muito atrapalhada, deu o telemóvel a alguém e a foto surgiu. Ela ainda disse-me "O tipo surgiu do nada! Veio ter connosco, e ainda pediu uma foto!! Foi um momento awesome!!", pois 'tá claro! Ainda no ano passado, apanhei-o na Feira do Livro... Credo!

Trump é um filho da puta mas isso, toda a gente sabe. Mesmo antes de ganhar as eleições, Gunther, já tinha feito uma música sobre ele. Quando Trump tomou posse, os Arcade Fire, também fizeram uma "banda sonora" mesmo a jeito... O TTIP (ou TAFTA) ainda está a ser negociado: o que virá aí???
E sim, tenho de falar da Rússia!! Quando é que é desmascarada a ligação EUA-Rússia?! Grrrrrr!!

Portugal não é os Estados Unidos! Entre Marcelo e Trump... que venha o tuga, páh! xD




Beijinhos e portem-se mal!! ;)