Em Setembro: MOTELX lê as entrevistas EXCLUSIVAS aos realizadores São José Correia (Portugal), John McPhail (Escócia) e Yann Gonzalez (França)! =D

sexta-feira, 18 de maio de 2018

O Leão somos nós

Boa noite.

Sou sportinguista. Não daqueles ferrenhos, que vai ao estádio e chamada nomes aos adeptos de outros clubes. Sou, discretamente, sportinguista. Daqueles que ouve os outros falar e, quando perguntam "De clube és?", digo que não ligo a futebol. Sou, liricamente, um leão adormecido.
Rui Patrício
O que aconteceu na terça-feira, foi um acto indescritível. Bárbaro. Sem qualquer parecença com a nossa cultura pacifista, e humana. Aqueles homens, invadiram um local de aprendizagem, e naturalmente seguro, para praticarem o oposto daquilo que é suposto acontecer num desporto colectivo.

A responsabilidade está, obviamente, no Bruno de Carvalho. É por ter sido ele, a mandar a claque, agredir os jogadores com cintos, tochas, e barras de ferro nas pernas e na cabeça dos jogadores e da equipa técnica? Bom, eu penso que a ordem partiu dele mas, mesmo que tal não seja assim, ele é o responsável máximo pela segurança em Alcochete logo, deve rolar a cabeça dele.

O Sporting, mais do que um clube de betos, é uma marca que sempre se pautou pela dignidade e pela justiça. Os casos que agora aparecem de corrupção, em relação ao SCP, envergonham-me. O Sporting, não é um Presidente, é um ideal, é uma cor, é um só hino. O Sporting, mais do que "um dos três grandes", é o maior em dignidade e respeito pelo adversário. É certo que, historicamente, é um "cemitério de treinadores". É certo que não é o que mais paga aos jogadores. E também é certo, não é o que mais ganha títulos. Mas, é o que tem um só ideal, uma só cor, e um hino unificador.

Que me lembre, fui só uma vez ao estádio de Alvalade ver o Sporting. Se não me engano, fui ver o penúltimo jogo enquanto Paulo Bento era o treinador. Na altura, já havia um grande mau-estar e pensava-se que aquele era o último jogo mas não, não era. Fui ver o (a net tem coisas fantásticas!) Sporting-Marítimo, na 9ª jornada, a 1 de Novembro de 2009, onde empataram a um golo (sobre este jogo, afinal, já tinha escrito em Novembro de 2009). Não sou, assim, um adepto ferrenho.

Nenhum adepto do Sporting, ou até mesmo, de futebol, poderia ter aquele tipo de acções. Agrediram, na cabeça, o Bas Dost. Trataram mal o meu querido - e, na minha opinião, o melhor jogador português - Rui Patrício. Ele já no Europeu, tinha sido considerado o melhor guarda-redes! Não, não merecia ser assim tratado. O futebol nacional, e os adeptos dos vários clubes, devem apaziguar os ânimos.

E o futuro. Há futuro depois disto? Domingo saberemos quem vai ganhar a Taça de Portugal contudo, creio, que a equipa irá jogar porque sim, fazer "corpo presente". Não condeno. Se fosse eu, manda tudo pó caralho, e não ligava ao resto. Mas eles têm advogados, empresários, e deviam ter sido aconselhados a jogarem. Depois disto tudo, a segunda-feira deverá ser um dia decisivo!...

Entristece-me ver estas coisas. Esta maldade porque sim. Gente que não presta. Para quê?

Isto é o Desporto. Isto é a América. Isto é o Mundo.




Beijinhos e portem-se mal!! ;)