Em Setembro: MOTELX lê as entrevistas EXCLUSIVAS aos realizadores São José Correia (Portugal), John McPhail (Escócia) e Yann Gonzalez (França)! =D

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Refill Vs Gourmet

Olaré!

Ando, há imenso tempo, irritado! Muito, mas mesmo muito irritado! A culpa é desta modernice, o Refill. Juro que este "Faz tu mesmo", irrita-me! Já me acontece o mesmo nos hotéis, onde se eu quiser um sumo de laranja natural, tenho de ser eu a espremer as laranjas.. WTF?? Desculpem-me lá, mas não!
Eu, pagando por um serviço, quero que este seja de acordo com os padrões de qualidade e de preço pago. Quer-se dizer, vou eu a um Burger King, comer uma hambúrguer (sim, eu digo "uma hambúrguer" e não "um hambúrguer"!), e tenho de ser eu a servir-me a bebida? "Ahh mas pode vir encher as vezes que quiser....". A primeira vez que tal me aconteceu, resolvi virar as costas, não consumindo, e pedindo devolução do dinheiro - fiquei em tremendo choque com esta merda!!!

Mas enfim, sou humano e gosto de hambúrguer - mais tarde, lá voltei, e rendi-me ao "faça você mesmo"! Mas se eu não quiser fazer!? Mais. Dou-vos mais uma irritação (ai caralho, que já se 'tá a ver as veias do pescoço), o Mc Donald's é outro que me anda a foder a cabeça.

E se eu, não quiser fazer o meu pedido numa estúpida e insensível máquina? E se eu quiser ser servido por, deixem-me cá ver.... um humanoíde???!! EU QUERO CONTACTO HUMANO! Que se fodam as máquinas, as pessoas é que devem ter trabalho!! Conto-vos uma: fui, no Verão, a um Mc, onde estavam 2 caixas de atendimento sem ninguém e, uma máquina de pedidos automática sem ninguém. Eu, claro está, fui para as caixas de atendimento. O gerente, disse-me que deveria ir para a máquina de pedidos, ao qual recusei. Ele predispôs-se a ajudar-me mas eu, voltei a dizer que não - queria ser atendido por alguém e pagar em dinheiro (coisa que detesto, mas neste caso até fazia questão, se necessário, ir levantar o carcanhol lol). Ele chamou alguém que estava na cozinha (a fazer coisas que se fazem na cozinha), para atender-me. Depois disse-me: olhe, está a ver aí um número? Depois será chamado por esse número. Desculpem???? E pronto, lá voltou para a cozinha. Lá fiquei eu, com ar de pânico e de parvo, a olhar para um estúpido ecrã, a esperar que aparecesse o meu número de pedido. Foda-se, mas eu não quero nada disto! Depois, o erro fatal...

O gerente, que me viu trombudo e prestes a explodir, resolveu meter conversa comigo. Coitado, levou com tudo aquilo que pensava e penso: estão a despedir pessoas mal pagas, para serem substituídas por máquinas, e toda a gente acha isso normal... recordei-o, naturalmente, que o lugar dele também é substituível por uma máquina, pois ele estava apenas a gritar pelos números. Entretanto, umas duas funcionárias resolveram parar o seu trabalho para ouvir a conversa, numa de dar "apoio ao gerente" e, este com mais força, continuava e eu, também. Até que cheguei a um ponto de tal saturação que disse: ou esta conversa termina agora, ou escreverei no livro de reclamações. Depois dele voltar a tentar, voltei a dizer que o faria mesmo, ele lá parou. Já servido, fui para a minha mesa.

Estava eu a comer, até que se chega a minha mesa quem? O gerente. A pedir desculpas mas que gostaria de insistir em que o Mc Donald's é blá blá blá whiskas saquetas. Quando ele acabou o discurso, disse-lhe: Se não reparou, estou a almoçar. Está a incomodar o meu almoço. Volta a dizer uma só palavra e eu juro-lhe, que escrevo no livro de reclamações. Ele pede desculpas, e lá foi.

Claro que a culpa não era dele. Claro que a culpa é do sistema, e das pessoas que acedem a esse tipo de serviços. Mas eu não tenho o Direito de Resistência? Tenho. Explodi com quem não tinha poder efectivo mas, enfim... aquilo saiu-me, e já se tinha vindo a acumular. Mas esperem, há excepções.

O Gourmet. Lá, só faltam lavarem-nos o cu com água de malvas. Fazem-nos tudo. Para pagar, lá está, também só mesmo vendendo o cu. Existe, na nossa sociedade, um divisão clara que só irá aumentar: os ricos, pagam bons restaurantes, são bem atendidos, comem boa comida e, os pobres, péssimo atendimento, e comida de plástico. No outro dia, escrevi no Livro de Reclamações de uma Pizza Hut - até queriam-me oferecer o almoço, mas não. Queria, e fiz, a reclamação. Recuso-me ser um agente impulsionador de diferenças sociais e de desemprego!! Até a Tasca ali da esquina, tem de ter os padrões mínimos de qualidade, e de serviço. Não têm? Arranjem. Não têm dinheiro? Fechem as portas. Para ter as portas abertas, têm de servir os clientes com qualidade, independentemente do preço.

Agora pensam que sou um tipo intragável. Foda-se, mas quem não se irrita com estas cenas? Ahh, e é verdade (só para odiarem-me um bocadinho mais), também pertenço aquele grupo de pessoas que, em restaurantes de Fast Food, deixa o tabuleiro em cima da mesa. Why? Bom, para dar trabalho.
De nada, não é preciso agradecerem.

E mais, foda-se (isto é o que dá ver o "Irritações", "Eixo do Mal", "Prós e Contras", etc): Faz amanhã um ano que o (que nome carinhoso é que lhe posso dar?...) FILHO DA PUTA do Trump tomou posse.
E dois anos, na próxima 4ªfeira, que Marcelo Rebelo de Sousa foi eleito. Morreu, para irritação minha, a Madalena Iglésias, e a outra que cantava o "Zooombie Zooombie Zooombiee eeee eeee".
É assim, acho que o melhor mesmo é atirar-me da ponte. É, é mesmo o melhor.

Porque eu só quero levar com o leite bom na minha cara. O mau, fica pós caretas! =P




Beijinhos e portem-se mal!! ;)