Neste mês do Orgulho Gay, irei revelar NOVIDADES! Aguardem por PASSATEMPOS e muito mais! =D

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Tenho-o nas cuecas

Olá!

Acontece-me tudo. Não é que ia tendo um Exame de Junho anulado? Não é que me obrigaram a despejar os bolsos como se fosse um criminoso? Mas porque raio é que as cábulas apenas têm de estar nos telemóveis? Juro que estas mentalidades causam-me um formigueiro daqueles!... =/
Tudo começou, como se inicia qualquer exame: recomendações para ler o enunciado até ao fim, começar pelo que temos mais certeza, não deitar um olhinho para as respostas do colega ao lado e, principalmente, não usar o telemóvel... aliás, não podemos ter o telemóvel durante o Exame.

Quem liga ao que se diz? Ninguém. Toda a gente começa a fazer o Exame pelo início, olha (várias vezes) para as respostas dos colegas onde, aliás, há troca de respostas entre os alunos e, o telemóvel é usado durante todo o tempo. Eu, e há semelhança de uma minoria, tem o telemóvel no bolso, em modo vibratório ou desligado. Temos o telemóvel, e a carteira... qualquer homem tem ambos no bolso.

Pois bem, se pensavam que a Inquisição tinha acabado, enganam-se!

Começam então, as professoras que estavam a vigiar o Exame, a olharem para os alunos com um ar intimidatório - Oh, mas isso são elas a quererem parecer más -, nop, isto eram elas a ser más! Estavam, de facto, a olhar para todo o lado, à caça de telemóveis e de outros gadgets tecnológicos!

O meu colega do lado, estava desesperado a olhar para o Exame - como eu o compreendia! - e, sacou o telemóvel do bolso para ir à net mas, pelo que percebi, não estava a conseguir encontrar o que procurava. Então, visto que estavamos com o calor de Junho, de calções, ele pôs o telemóvel entre os calções de ganga que trazia vestidos e a sua perna (e não dentro do bolso). As tipas, passaram por ele, comentaram uma para a outra, em tom de segredo, e um delas perguntou-lhe se tinha algum telemóvel com ele; ele, naturalmente, negou; então, perguntaram-me o que ele tinha ali no bolso, com o formato de um telemóvel...; ele, tirou então o telemóvel e disse que não o estava a usar (e, de facto, elas não o apanharam a usar o telemóvel); as putas, então, informaram-no que o Exame dele estava anulado, e se podia sair da sala. Neste momento, todos os nós, ficaramos com cara de "Monday"!

Estávamos todos lixados. Estávamos todos condenados. Estávamos todos com o Exame anulado. Estávamos todos chumbados, visto que o Exame valia 100% da nota final à disciplina. Fodeu!!!

Nesse instante, pensei que seria o próximo. Todos pensávamos que seriamos os próximos.

Mais um com o Exame anulado: negou, estrebuchou, rendeu-se às evidências, e saiu. E outro apanhado. E ainda outro. Mais um. E ainda mais uns quantos - reagiam sempre da mesma forma. Foi então que transformei-me, agora sim, no próximo alvo. Era o seguinte a fazer a mesma triste figura.

Já estava sozinho naquela fila: ou tinham sido apanhados, ou tinham acabado o Exame. Restava eu.

Tinha o telemóvel num bolso, e a carteira no outro. Elas estavam a tentar descobrir qual dos bolsos era o do telemóvel. Certo era que, até aquele momento, a maior parte dos que tinham sido apanhados foram rapazes com o telemóvel no bolso e, as raparigas, foram apanhadas em flagrante! Eu então, de calças, e aproveitando uma distracção delas, puxei as calças para cima, criando mais tecido nas zona dos bolsos, dificultando a visão raio-X das madames. Mas porra, lá voltavam elas, punham-se a olhar por cima do meu ombro... eu, já não conseguia fazer o Exame, tamanho o pânico.

Colegas que iam entregar o Exame, eram ordenados a despejar os bolsos, tendo assim, mais uns quantos Exames anulados. Enfim, não tinha remédio - ia ser apanhado, de uma forma ou de outra - ia chumbar... a não ser, claro, se não fosse apanhado... mas como?? Pôr na meia é demasiado difícil, implicava subir as calças, baixar a meia de cano-alto, sacar o telemóvel, voltar a subir a meia, e descer as calças... para além de rezar que não caísse nos entretantos. Pôr à cintura, implicaria um milagre para que ele não caísse... Espera lá, há uma maneira - tenho de o pôr num bolso, mas sem que possa ser alvo de buscas inspeccionarias! Por acaso até tinha um: as minhas cuecas.

Próxima missão, pôr o telemóvel dentro das cuecas! Não podia ser revistado e, caso ficasse mal arrumado, sempre dava um ar viril e masculino à minha pessoa! xD Pois bem, há que abrir as calças. Começou então, a fase "Tuesday". Visto que não conseguia abrir as calças sentado num ângulo de 90º graus, tinha de descer o rabo para a berma da cadeira, permitindo assim a abertura do botão das calças e do fecho. Elas, rondavam-me e eu, com um ar natural de alguém que quer estar à vontade a fazer um Exame... Uma, ficou então sentada, a recolher Exames e, outra, a cirandar, sempre a olhar para mim. "O seu Exame está anulado!" - sempre que ouvia esta frase, dirigida a algum colega, distraia o cão-de-guarda, e permitia-me avançar. Pus o telemóvel dentro das cuecas e aí, respirei fundo - já estava safo. Sim, faltava fechar as calças mas... elas não me podiam pedir para baixar as cuecas... Com outro Exame anulado, consegui por-me decentemente. O cão-de-guarda aproximava-se de mim e, eu, sorria-lhe a pensar "já não me apanhas, minha vaca de merda"!

Quando ela ia falar comigo, interrompi-a, a perguntar se eu podia abrir mais a janela, visto que estava calor. Ela disse que sim e, ao dirigir-me à janela, aproveitei para ajeitar o aparelho tecnológico. Sentei-me, e nada disse-me. Assim aconteceu a fase "Wednesday"

Fui entregar o Exame. Elas, com um ar de estúpidas, pediram-me para despejar o bolso onde estaria o telemóvel. Eu, com as mãos, estiquei as calças, permitindo-lhes ver que estava vazio. Pediram para despejar o outro, onde eu disse "Mas é apenas a carteira..." elas "Pois, mas é para os seus colegas verem que é uma carteira.". Eu tirei-a, elas viram-na, e arrumei-a. Acontecia, então, a fase "Thursday". "Então, e o seu telemóvel?"; "Não o tenho"; "Então onde está? Na mala?"; "Não"; "Então está onde?"; "Não o trouxe hoje". Não me deram resposta... algum jovem, ou alguma pessoa, sai de casa sem telemóvel? Óbvio que estava a gozar com elas! Porque disse que não o tinha na mala? Bom, porque elas eram cabras o suficiente para pedirem-me que o mostrasse... Putas putas putas! Grrrrrrrr!

Sai da sala, vi colegas revoltados, e vi colegas a rirem-se. Eu, fui directo à casa-de-banho. De dentro do bolso que não despejei, tirei de lá a minha cábula, em papel (old school, my darlings!) - despejar o bolso para ter um Exame anulado por uma cábula? Não! E, do bolso onde tinha a cábula, voltei a lá pôr o telemóvel. Lavei as mãos, e fui ter com os meus colegas, sorridentes. Qual o tema de conversa? Onde tínhamos escondido os telemóveis!! As mulheres foi dentro dos ténis, debaixo do pé e nos soutiens, os rapazes nas meias... e eu, nas cuecas! Estávamos todos com uma cara de "Friday"!

No fim de contas, não fui apanhado, usei a cábula e... passei ao Exame... em recurso, e já sem o telemóvel no bolso, apesar de ainda ter havido uns Exames anulados!... Porque não usei o telemóvel, como os restantes mortais? Hellooo peoples, everybody else?? Não tenho um smartphone!!!! =D

Não se cheguem perto de mim: cometi um erro, sou... culpado! *Chibata nas costas de euzinho*




Beijinhos e portem-se mal!! ;)