Neste mês do Orgulho Gay, revelei NOVIDADES com 2 novas Parcerias com instituições LGBT's portuguesas! =D

sábado, 18 de abril de 2015

Dia Mundial do Livro 2

Olá!

É já dia 23 de Abril que se comemora o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor. Como tal, resolvi dar-vos 7 recomendações literárias, para comemorar os 7 anos deste blogue e para ser uma recomendação diferente por cada dia durante uma semana inteira. Ao contrário do Professor Marcelo Rebelo de Sousa, eu li  todos estes livros =)

A 2ª recomendação será para o livro "A Arte de Ser Feliz" de Arthur Schopenhauer.

Este foi-me recomendado no meu 6ºano, pela minha professora de Língua Portuguesa. Eu, há época, lia imenso e ela também e, certo dia, levava este livro para a aula e disse que eu era capaz de o perceber.... deu-me os dados do livro e disse-me que, este é dos livros que devem ser lidos todos os anos por, cada vez que o lemos, vamos entender coisas diferentes. Na altura não percebia bem a necessidade de ler todos os anos o mesmo livro mas.... é de extrema importância.

Lembro-me de ler este livro no ano passado e voltei a ler este ano... É incrível como mexe connosco e encontramos sempre coisas diferentes e que nem tínhamos reparado ou pensado sobre elas!...

É um livro negativista e por isso mesmo, deve-los lê-lo com cuidado e perceber o que é a lógica do autor e o que podemos tirar de bom de uma lógica que... não convém lá muito aplicar na nossa vida lol

Claro que está cheio daquelas frases maravilhosas...

"Apenas a experiência da vida mostra-nos que o carácter dos outros não muda, mas antes de percebermos isso, acreditamos de uma forma infantil que através de um discurso razoável, de pedidos e por vezes até mesmo de súplicas, podemos levar alguém a desistir de um hábito, a mudar a sua forma de agir, a afastar-se da sua forma de ver as coisas e até mesmo a ampliar as suas capacidades. A mesma coisa acontece connosco. Somente com a experiência conseguimos aprender o que podemos e o que queremos. (...)" Pág 32

"A vida é como um jogo de xadrez: começamos por fazer um plano, mas este está sempre dependente daquilo que o adversário decide realizar no jogo. Na vida, o destino é o adversário. As alterações que vão acontecendo, normalmente são tão importantes e marcantes, que apenas conseguimos reconhecer o nosso plano nalgumas linhas elementares." Pág 56


Beijinhos e portem-se mal!! ;)