Neste mês do Orgulho Gay, irei revelar NOVIDADES com 2 novas Parcerias com instituições LGBT's portuguesas! =D

sábado, 6 de junho de 2015

Blogayesfera, hoje.

Boa noite!

Quem diria que já escrevo na Blogaysfera há mais de 6 anos! Eu mesmo não teria noção que este meu cantinho durasse tanto tempo e, haverá nos próximos dias, um texto super positivo de balanço deste tempo todo. Mas hoje, apetece-me fazer um balanço negativo de tudo isto que anda por cá.

Costumo ver, às vezes, durante a tarde, o programa "Há tarde", na RTP1, com o Herman José. Uma vez já tinha-o ouvido dizer uma coisa que concordava e outro dia, voltou a dizê-lo e é completamente aplicável neste mundo blogueiro.

Estavam a falar do devido valor de Fátima Campos Ferreira (e que ainda não foi devidamente reconhecida pelos seus pares), e sobre as invejas que existem. O Herman então disse:

E o sentimento da inveja é fortíssimo! E todos os dias há uma pessoa nova que olha para nós e diz: "Porque é que ela está ali? Mas... Outra vez? Mas ainda? Então e nós? Quando é que....". Esse é um drama dos países pequenos, mas também um drama muito dos países do sul e do Sol. As pessoas gostam muito de ocupar o espaço que acabaram de queimar. É uma coisa muito, infelizmente, muito nossa. Nos países nórdicos é diferente: vamos trabalhar este jardim comum a estas casas todas. Nós não. Nós é "deixa-me cá levantar os muros, fazer o meu jardim e deitar o lixo lá para fora." E acontece também profissionalmente. [então Fátima Campos Ferreira disse] E, ainda para mais nesta profissão, que deve interligar os mais novos com os mais velhos.

(Poderão verificar tais palavras aqui após o min 28:40)

Esta é a minha ideologia perante a blogayesfera. Mas não de hoje. Já penso assim há anos. Lembro-me, e ainda tenho, blogues de grande referência. Infelizmente, já se encontram abandonados há vários anos. Esses blogues foram, durante muito tempo, pilares essenciais no panorama gay nacional e forte influência na chamada, grande Lisboa.

Eu, aquando da criação deste meu cantinho, lembro-me perfeitamente do gosto, orgulho, honra, respeito e prazer, quando lia um novo texto dos meus ídolos blogueiros. E, há época, os novos blogues eram aceites de uma maneira fantástica e, entusiasta! Hoje, os valores alteraram-se.

O grosso dos blogues que têm surgido, são ocos. Não trazem nada de novo e, ainda para mais, julgam-se na exacta medida daquilo que ambicionam algum dia vir a ser. Mas esquecem-se do essencial - qualidade.

Várias pessoas disseram para não escrever este texto mas... não consigo - é mais forte do que eu. Não consigo calar-me perante a negligência histórica de vários autores de blogues. Não consigo ficar quieto quando se julgam na plenitude das suas faculdades intelectuais, para chamarem nomes a outros autores de blogues. É calunioso. É repugnante. Pior, é feio. Bem sei que, hoje em dia, os valores estão opostos - o que é certo é fazer errado; mas, o que pensam que ganham com isso? Visibilidade? Muitos confundem visibilidade com visitantes, é pena.

A forma mais difícil de comunicar é através da escrita. O vídeo é algo imediato, o facebook também... mas o texto corrido não é assim - é por isso que pegamos num livro e desistimos à 5ª página e há outros que nos agarram até ao fim. Eu tenho um blogue de escrita. Não um blogue em estilo facebook ou estilo asqueroso. O que aqui é escrito vem de mim e vai directamente para cada leitor. É escrito de peito aberto, com sinceridade e... revela a minha essência. Podem não conhecer a minha cara, mas conhecem o meu coração.

Triste dos ignorantes que nada sabem e nem querem saber.

Há tempos, conheci um blogueiro desta praça e falávamos sobre "isto de ter um blogue", ao qual ele dizia que escrevia aquilo que os leitores queriam ler. Que tomava posições públicas mediante as opiniões da maioria dos seus leitores... mesmo que ele fosse contra. Tinha uma forma de escrita que não gostava, mas isso trazia-lhe comentários e outras coisas mais. Como devem imaginar, não irei revelar o nome da pessoa, mas certamente que imaginarão a minha cara. Tivemos uma discussão sobre o que é ou deixa de ser a blogayesfera e chegamos a uma conclusão - estávamos em desacordo. Não consigo compreender alguém que escreva sobre guilhotina dos seus leitores... Isso não são leitores, são carrascos!

Sei que as pessoas sabem separar o verdadeiro do esforçado. Sei que sabem distinguir a realidade da conveniência. Sei que sabem, quando chegar a hora de escolher entre o certo e o fácil, irão optar de acordo com o seu coração. Mas, custa-me saber algumas coisas que se passam "por aí". Custa-me muito.

A blogayesfera portuguesa é muito pequena e é fácil criar um bom ambiente inter-plantaformas mas, parece que não existe essa receptividade. É pena pois, todos unidos, aprendendo uns com os outros, poderíamos dar uma real voz ao panorama Bloguístico nacional. Eu sempre estive e estarei disponível a isso. Ter um blogue, é muito mais do que "dizer umas coisas"... nós, como dizem na TVI, fazemos opinião e acho que há muito boa gente que não tem noção daquilo que é.


Deixem de ser escravos de vocês próprios. Convosco, Grace Jones.




Beijinhos e portem-se mal!! ;)