Em 2019, este blog comemora, 10 anos de existência! Virá TANTA coisa boa! Jantares, Ofertas, Entrevistas, Eventos, conteúdos Exclusivos e... surpresas! =P

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Guaidó, no es el camino

Boa noite.

O mundo ando louco. Aqui, discute-se Moções de Censura sem nexo; a Esquerda (em qual votei), desilude-me; e a comunicação social portuguesa, insiste em fazer day time, em qualquer hora do dia.
Fonte: Reuters
Hoje falarei de tudo o que se anda aí a passar. Não confio na imprensa portuguesa portanto, tenho de manter-me informando, perante fontes que considero "fidedignas". Hoje, falarei de Guaidó, Brasil, EUA, China, Vaticano, Espanha, Portugal... Serei o único a ver que isto vai dar muito mau resultado?

Estamos a 1 mês do Brexit (29 de Março). Isto é importantíssimo, mas insistimos em não dar valor... virá aí um novo New Deal, onde Itália e os Coletes Amarelos deixam de ser importantes. A saída do Reino Unido, fará abalar a estrutura mais funda do Projecto Europeu. As réplicas, fazem-se sentir.

Começo pela Europa. Devemos estar atentos aos sinais - eles são por demais evidentes. Bulgária está um barril de pólvora: ao mesmo tempo que há denuncias de miséria absoluta, por parte de trabalhadores, há manifestações de Extrema-Direita a ocorrer... coincidências? Ali ao lado, na Sérvia, há manifestações contra o presidente, acusando-o de despotismo. Na Albânia, exige-se a demissão do Governo. Em França, há manifestações contra o antissemitismo... Já nos esquecemos da Guerra?! =(



Este vídeo é simbólico. As pessoas estão fartas. As pessoas estão revoltadas. As pessoas exigem a mudança. O desespero, faz acreditar em soluções não confiáveis. O Vaticano, estes dias, esforça-se por mostrar que está a mudar, mas será o suficiente? Os abusos sexuais no clero, chocam o Mundo!

Em relação à China, serei breve. Venho trazer-vos duas notícias preocupantes. Primeiramente, a China diz que também merece ter uma "vida boa", e que, em 2050, quase um terço da população chinesa terá mais de 65 anos. Este país, será ultrapassado pela Índia, em relação à natalidade.

Os analistas prevêem uma nova recessão europeia e, o país que mais sinais dá, é a Alemanha. O PS errou, ao pôr como cabeça de lista para às Europeias, o agora ex-ministro do Planeamento e das Infraestruturas (Pedro Marques). Durante estes anos, nada fez em relação ao estado decrépito das nossas infraestruturas e, poucas semanas antes do seu anuncio, põe-se a fazer promessas e a aparecer na televisão (com o meu voto, o PS não conta!). Já nos esquecemos do maior incêndio do país?



Presidente da República, como sempre, quer dar-se bem com toda a gente. Após o parecer da PGR sobre a Greve dos Enfermeiros, este diz que apenas pronunciar-se-á após decisão do Supremo Tribunal Administrativo. Mais uma lei para a igualdade, desta vez, salarial (o #MeToo no governo).

Em Espanha, em 4 anos, já houve 3 eleições legislativas. Daqui a 2 meses (28 de Abril), haverá um novo governo, que terá que lidar com a fragmentação do país, tudo devido à Catalunha. O partido Vox (de extrema-direita), e mais outros dois partidos de direita (mais à direita que os partidos de direita em Portugal), dificilmente entender-se-ão todavia, prevê-se que estes farão uma "geringonça de direita". Deste modo, e em pouco por toda a Europa, os partidos clássicos do século XX, estão a desaparecer, e ao mesmo tempo, há gente a dar dinheiro e a construir propaganda anti-Europa (de Direita). Espanha, ao contrário de Venezuela, tem 12 presos políticos que, enquanto negociava a sua libertação, Pedro Sánchez (entrevista completa), estava a querer aprovar o seu orçamento.

No Brasil, a idade da Reforma vai aumentar, o que fará aumentar as desigualdades e, consequentemente, a miséria. Roberto Carlos, vestiu uma camisa rosa, em sinal de protesto com a ministra Damares Alves. E, Portugal foi o destino escolhido por Cleuzenir Barbosa, para esta fugir de Bolsonaro! Não podemos esquecer que os militares estão nas ruas, bem como todas as desigualdades!



Amanhã, será o grande dia - será o teste aos militares. Caso eles quebrem, Maduro cai. É uma acção simbólica. Espero, convictamente, que eles não quebrem. Espero que os militares de Maduro, consigam manter o país, dentro das ordens dos generais que, por sua vez, estão ao encontro da vontade do Presidente Legitimamente Eleito. Se me dão a escolher, entre um e outro, sou obrigado a recorrer à legitimidade jurídica, política, e diplomática - Maduro. Prefiro que haja um déspota-incompetente à frente de um país soberano, do que um líder-fantoche, nas mãos de um país terceiro (EUA). Guaidó, para fazer cair o Presidente Legitimamente Eleito, sob promessas de ser ele a liderar o país. Não. Não podemos trocar seis por meia-dúzia. Venezuela tem problemas, tal como todos os país, particularmente, países da América Latina - porque motivo dá-se tanta atenção a este particularmente? Guaidó, nem sabe quantos meses precisaria para marcar eleições.... pois! -,-

Vamos, analiticamente, olhar para Maduro. Na Venezuela, não há presos políticos. Espanha, deveria estar calada, ao referir-se à Venezuela. Ouvi na televisão, uma deputada da oposição venezuelana, dizer que "o exército passa as mesmas necessidades que nós" - que gargalhada dei! Os militares venezuelanos, recebem sacos cheios de dinheiro! Dinheiro do Maduro, ou de Trump? De ambos! Os militares irão sempre, para quem lhes der mais dinheiro! Como são pagos eles? Dólares! Como Maduro paga dólares aos militares? Simples, é Putin! Putin, envia aviões que descarregam milhões de dólares e, é graças à Rússia, que Venezuela não caí. Minto: enquanto Rússia e China quiserem, a Venezuela não cairá.

Rússia, é o novo centro do Mundo! É a Rússia que está nas negociações com os Talibãs no Afeganistão; é a Rússia que está a "tomar conta" do Médio Oriente"; a Rússia está na Crimeia e ninguém faz nada! Putin vai avisando... ele está atento e, dificilmente, deixará cair um ponto geo-estratégico na América Latina tão facilmente. Não devemos subestimar Putin e a máquina Russa! 



Nesta entrevista (minuto 18:25), o Presidente Legitimamente Eleito, afirma que lá residem 300 mil italianos, 300 mil portugueses e 300 mil espanhóis. Coitado, Maduro foi tão ingénuo. Todas estas pessoas, criaram relações e laços de consanguinidade, o que perfaz que haja o triplo, ao longo de todas as décadas. Algum destes países consegue, do dia para a noite, acolher 1 milhão de pessoas? O ministro dos negócios estrangeiros, Augusto Santos Silva, em vez de estar a piorar a situação diplomática, deveria era acautelar-se, em arranjar abrigo para toda essa gente. Nenhum destes países da Europa, quer de volta do seus compatriotas. O Conselho Português para a Paz e Cooperação, afirmou que Portugal está no lado do agressor. A Cruz Vermelha Internacional, não toma posição.

Trump, está a asfixiar a Venezuela, congelando todos os seus bens exteriores. Se vivia-se mal neste país, ficou na miséria total. A população quer pão - é legitima a sua pretensão - e assim, estes ficarão sempre ao lado de quem lhes pode dar o que mais querem. A população não sabe, mas a "ajuda humanitária", não chega aos mais de 30 milhões de Venezuelanos. O que ocorrerá amanhã, trata-se de Propaganda Social e Propaganda de Estado, isto é, marketing por parte da oposição, liderada por Trump.

Amanhã, Guaidó, vai jogar os seus peões, sem nunca estar directamente envolvido. Este quer que os militares percam a cabeça, e disparem contra a população. Guaidó, quer ser a vítima, o herói, quer ser o Bolsonaro de Venezuela, quer ser o Trump da América do Sul. Venezuela, é um dos países do Mundo, com as maiores reservas de Ouro, Pedras Preciosas, e Petróleo. Guaidó, quer um país faminto, para que possa "arrumar a casa à sua maneira". Guaidó, é um jovem sem futuro.



Mas voltemos ao tenebroso ditador Venezuelano (sentiram o chão por baixo dos vossos pés a mexer? Foi porque lerem "tenebroso"): alguma vez um ditador, permite ter oposição; alguma vez um ditador, permite ter a Judite de Sousa fazer reportagens parvas, sem antes levar um tiro; algum ditador aceita tão bem a comunicação social dos outros países, dando-lhes liberdade total de trabalho? Maduro, não é um ditador. Ainda se lembram dos "miseráveis" do militares venezuelanos?! Conhecem o bairro El Hatillo? O Caracas Country Club ou o Lagunita Country Club? Pois não, nenhum de vocês pertence à elite Venezuelana, sendo esta composta por juízes e procuradores, políticos e... militares. Sim, uma mudança na Venezuela, que acabará com estes privilégios, vai contra a vontade dos militares. São estes os mesmos militares que, ainda recebem sacos de dinheiro, provenientes da maior rede de trafico de droga da América Latina que, teve que sair da Colômbia, mas fixou-se na Venezuela. Já pensaram nos traficantes? Eles também não terão onde ficar! Em suma, os militares recebem dinheiro do Maduro (preveniente da Rússia), da oposição (preveniente dos Estados Unidos da América), do trafico de droga (proveniente da rede ali fixada), e ainda têm os maiores privilégios e segurança. Os militares poderão mudar de lado? Claro que sim! Mas irão manter o nível de vida? Fica a questão.

Portugal, apenas sabe dar tiros nos pés. Faz reconhecer um governo, através da sua legitimidade democrática, seguindo assim Donald Trump. Por esta ordem de ideias, Portugal deixará de reconhecer os Chefes de Estado da China, da Rússia e da Arábia Saudita; defenderá também a saída da Guiné Equatorial da CPLP. Vamos lá ser realistas! Os Estados têm relações, com quem tem o poder real - Guaidó não tem poder esse poder, mas sim Maduro. A comunidade Internacional está a fazer cair o poder real de um país, para colocar lá um poder desconhecido (minto, é conhecido, é o Trump). Trump, não vai mandar tropas para a Venezuela, bem como nenhum outro país. Os GOE (Grupo de Operações Especiais), não puderam entrar na Embaixada Portuguesa. Motivo? Portugal deixou de ter relações com um Estado independente, onde vive 1 milhão de pessoas, que poderão pedir ajuda e, segundo os acordos internacionais, Portugal tem a obrigação de zelar pela sua segurança e bem-estar. Pergunto: não é arriscado apoiarmos uma "presidente simbólico", existindo milícias armadas que apoiam o actual presidente? Guaidó, também começa a dar armas a populares.

O mundo está dividido. Itália, inteligentemente, ficou neutra. Grécia, também pautou-se pelo seu pragmatismo democrático. Uruguai e México, são democracias com boas relações com Maduro, mas já nos esquecemos o impacto que teve a "mão" dos EUA, no Iraque? Trump (que entregou o mundo à Rússia e à China) e Bolsonaro, estão na linha da frente, para a resolução da situação. Venezuela, conta com o apoio do Irão, África do Sul, Rússia, China, Turquia... É boa ideia medir forças? Caso o Presidente Constitucionalmente Eleito feche as fronteiras, no lado colombiano (e, um pouco, no Brasil), faz-se sobreviver todavia, tapar-se-á a válvula de escape do povo venezuelano. A oposição está a fazer cheque-mate, atreves de um testa-de-ferro, chamado Povo. Amanhã, chega a ajuda tão esperada. Irei acompanhar a situação, através da imprensa escrita, televisão local, e de outros meios.

É importante estarmos informados. É vital paneirarmos as notícias. É fulcral sabermos a Verdade.

Estamos numa Era de Escuridão. E temos de saber onde podemos encontrar a Luz, a Verdade.




Beijinhos e portem-se mal!! ;)

Sem comentários:

Enviar um comentário